Opinião: Bitcoin está condenado ao fracasso

O Bitcoin em nosso dia a dia

A cada dia que passa, está mais difícil se manter neutro à forte popularidade do mundo das criptomoedas. Os governos estão tomando posições, os novos membros estão impulsionando a capitalização de mercado, os ICOs estão sendo emitidos e as novas empresas e exchanges estão entrando no mercado.

No entanto, apesar de estarmos em uma fase de integração, a implementação e aplicação das criptomoedas no dia a dia, até o momento, estão ocorrendo em uma velocidade sem precedentes. Parece que a implementação na humanidade e a curva de aprendizado estão se tornando cada vez maiores. A cada ano que passa estamos cada vez mais prontos para abraçar essas ideias revolucionárias.

Se analisarmos o tradicional processo de implementação tecnológica veremos que a popularidade das inovações depende muito de sua quantidade de casos de uso. Até o momento, as criptomoedas não apresentaram nenhuma mudança ou melhoria significativa.

Leia mais: Muitas das moedas que receberam forks aparentam mais do que valem

Medo de ficar de fora

É o medo que impulsiona o bitcoin. Com o surgimento do Bitcoin, nos deparamos com o exemplo moderno da teoria dos jogos. E apesar de estarmos bem distantes de qualquer aplicação útil e inovativa da moeda, o medo de ficar de fora é a principal força por trás da popularidade mundial da importante criptomoeda.

Portanto, não é o reconhecimento da utilidade do Bitcoin, mas o medo de ficar de fora e não usufruir desta utilidade quando ela surgir. A última coisa que alguém desejaria fazer é condenar a criptomoeda durante sua fase ambígua apenas para ficar de fora quando a mesma explodir.

Os benefícios prometidos do anonimato, a possibilidade de se livrar de leis estatais e a chance de finalmente construir o desejado sonho americano são muito atraentes. É por isso que o mundo concordou unilateralmente com a proposta do Bitcoin sem prazos ou garantias.

Um exercício de investimento anjo global em Bitcoin para se manter no mercado até o possível lançamento de uma oferta inicial pública.

A China pode proibir a mineração e o Japão pode proibir as exchanges. A Turquia pode emitir sua criptomoeda nacional e os EUA podem aplicar impostos sobre os investimentos cripto. No entanto, nenhum desses países ganharão da Irlanda que irá diminuir a carga tributária sobre empresas cripto e arrecadar lucros em um investimento anjo em escala global.

A verdade é que todos querem ser como a Irlanda e ninguém quer ficar de fora.

O preço do Bitcoin já é uma bolha gigante. E o preço pode crescer ainda mais visto que o mundo está sob a febre causada pelo medo de ficar de fora. Mas quer saber uma coisa? O preço é justificável! Se pessoas estão comprando, o preço continuará a subir.

Desistir da promessa do mundo cripto será o mesmo que reconhecer nossa impotência. É o mesmo que dizer que, de qualquer forma, morreremos de câncer e estamos livres de décadas de pesquisa extensiva. Não a compraremos! Os custos irrecuperáveis são muito altos. Queremos viver! E se custa bilhões de dólares em investimento, – que assim seja. Não há volta, não aceitaremos a derrota.

Sendo assim, a única coisa que o Bitcoin pode realmente fazer é continuar crescendo até que apresentem uma aplicação em grande escala para o dia a dia, na qual milhões de pessoas passem a usar.

E assim como foi com computadores, IA ou realidade virtual, a forma de uso para o mundo cripto surgirá. Pode levar mais de um ano ou uma década. Mas ela virá. E se não vier para a maioria do mundo, ela claramente já chegou aos principais interessados e criadores do ecossistema cripto. E eles não desistirão do mercado.

Fonte: CCN.com