Os bancos centrais estão promovendo indiretamente a popularização cripto com seus CBDCs?

CBDC da China não é o único. Moedas digitais ganharam espaço nos debates econômicos após as tentativas do Facebook de lançar sua criptomoeda, a Libra

O Bitcoin existe há mais de uma década, mas a adoção em massa das criptomoedas ainda parece distante. Alguns dos principais obstáculos para a adoção em massa das criptos incluem a falta de educação sobre o uso de criptomoedas, escalabilidade, fraudes e hacks, alta volatilidade e regulamentação pouco clara.

Nos últimos tempos, no entanto, houve várias novas altcoins que resolveram as deficiências do Bitcoin, mas a alta volatilidade continua sendo um grande desafio para as criptomoedas com relação à adoção.

Hugo Renaudin, CEO e cofundador da bolsa de ativos digitais – LGO Group, em um podcast recente, destacou que essa alta volatilidade pode às vezes ser uma coisa boa para o espaço cripto. De fato, após o boom do Bitcoin em 2017, muitos começaram a investir em criptomoedas, especialmente o Bitcoin com o único objetivo de ganhar com sua volatilidade.

Além disso, o uso de dinheiro diminuiu em todo o mundo recentemente. Mesmo em países em desenvolvimento como Índia, África do Sul, Venezuela etc., os sistemas de pagamento eletrônico são extremamente populares. A pandemia atual também reduziu ainda mais o uso de dinheiro.

A comunidade cripto, por outro lado, encontrou uma boa oportunidade para fazer as pessoas perceberem o potencial do Bitcoin e de outras altcoins líderes. O presidente e CEO da Bianco Research, Jim Bianco, também opinou recentemente que as criptomoedas podem ser a próxima moeda de reserva global.

Contudo, ele observou que o Bitcoin certamente não era o único, afirmando que as pessoas esperavam desesperadamente por uma moeda alternativa por quase dez anos, ele declarou:

“Provavelmente ainda não existe ou pode estar na sua infância. Para ser uma moeda de reserva global, ela precisa ser um meio de troca e uma reserva de valor. Bitcoin pode ser uma boa reserva de valor, mas certamente não é um bom meio de troca. O éter, por outro lado, poderia ser um meio de troca melhor, mas não uma reserva de valor. ”

Como resultado, os bancos centrais de todo o mundo agora temem a adoção principal das criptomoedas e estão acelerando seus processos de desenvolvimento do CBDC (moeda digital estatal), para garantir seu controle sobre as políticas monetárias.

O fato de o projeto CBDC da China, o Yuan digital, ter chegado à fase final é um exemplo perfeito. Compartilhando suas opiniões sobre esses rápidos avanços no CBDC, Renaudin, observou ainda que os bancos centrais estão, por sua vez, promovendo o uso de criptomoedas:

“Se houver um euro digital do banco central, todas as empresas que desejam usar esse euro precisam atualizar essa infraestrutura para ativos baseados em blockchain. E quando eles se saem bem, é obviamente muito mais fácil para eles aceitar criptomoedas. “

Fonte: AMB Crypto

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.