Os investidores dos EUA terão que relatar transações de criptomoedas acima de US $ 10 mil ao IRS

Objetivo do governo é arrecadar quase 1 trilhão de dólares nos próximos 10 anos apenas com impostos sobre criptomoedas

O Tesouro dos Estados Unidos pediu medidas mais rígidas de conformidade das criptomoedas com o IRS, alegando que há um risco significativo de evasão fiscal no espaço.

Todas as transações acima de $ 10.000 agora devem ser relatadas ao IRS para fins de documentação e tributação. Isso ocorre logo após uma grande correção em todo o mercado, que viu o preço do Bitcoin cair para US $ 30 mil.

O IRS será expandido com um pacote de US $ 80 bilhões com o objetivo de aumentar sua mão de obra e recursos. Indivíduos e empresas que lidam com criptomoeda estarão sujeitos a um nível mais alto de escrutínio, visto que o Tesouro acredita que as transações de criptomoedas, em particular, são mais difíceis de rastrear e taxar.

Funcionários do Tesouro acreditam que esse plano (conservadoramente) gerará US $ 700 bilhões na próxima década, argumentando que a fraca aplicação das regras fiscais beneficia desproporcionalmente os sonegadores mais ricos, uma vez que eles têm ferramentas mais sofisticadas à sua disposição para ocultar e lavar dinheiro. Se as alterações forem aceitas, começarão apenas no ano de 2023.

A batalha fiscal cripto em curso

O presidente Biden, a fim de financiar seu ambicioso programa de infraestrutura para os EUA, tem procurado maneiras de maximizar a receita do governo de forma mais eficaz. Isso incluiu uma proposta para dobrar a taxa de imposto sobre ganhos de capital, o que geraria bilhões de dólares em receitas de investidores ricos, incluindo jovens milionários no mercado de criptomoedas.

Embora seja relativamente fácil tributar contas de corretagem (as principais plataformas de negociação são totalmente compatíveis com impostos nos EUA), não é tão fácil controlar os ganhos de capital totais no mundo cripto.

Isso se deve a vários fatores, incluindo as principais exchanges que não exigem KYC, grande volume de negociação na rede (Uniswap, PancakeSwap) e a facilidade de mesclar dinheiro por meio de serviços como Tornado Cash e Swirl.

Embora carteiras de criptomoedas e transações na blockchain possam não estar necessariamente vinculadas à identidade real de alguém, elas são pseudônimas, e as transações podem frequentemente ser agrupadas – basta um ponto de falha (como uma exchange centralizada) para identificar positivamente um ‘anônimo’ utilizador.

Fonte: CryptoPotato

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.