Pesquisas apontam que mineração ilegal cresceu 459% neste ano

Vazamento de software na NSA pode ter impulsionado a mineração

De acordo com um relatório da Cyber Threat Alliance publicado ontem, os casos detectados de mineração ilegal mostram um crescimento absurdo em relação ao último ano.

Segundo pesquisadores, os hackers estariam se aproveitando de uma falha de software que aparentemente vazou uma ferramenta da Agência Nacional de Segurança (NSA) dos Estados Unidos em 2017. A falha possibilitaria a mineração de Bitcoin, Monero, e outras criptomoedas.

Leia mais: Exchange japonesa Zaif é hackeada: quase US$60 milhões roubados

A ferramenta, denominada Eternal Blue, apresenta vulnerabilidade e exposição em versões antigas da Microsoft.

Um grupo intitulado Shadow Brokers estaria por trás do vazamento. De acordo com informantes, esta equipe forneceu ferramentas ligadas à violação diversas vezes. Após ser utilizado em vários ataques pela Rússia e Coréia do Norte, o código se popularizou.

Aparentemente, a Coréia do Norte fez uso do Eternal Blue para desativar computadores em diversos países. Já no caso da Rússia, a ferramenta foi usada para invadir sistemas de grandes empresas, como a A.P. Moller-Maersk.

Leia mais: Comissão de Valores Mobiliários brasileira (CVM) autoriza investimentos “indiretos” em criptomoedas

Após o vazamento, a Microsoft liberou uma atualização de segurança para anular os riscos da Eternal Blue.

De acordo com a Cyber Threat Alliance, mais de 80% da prática ilegal foi destinada à mineração de Monero.

Os hackers podem se sentar e observar o dinheiro entrar“, disse Neil Jenkins, diretor analítico da Aliança.

WeBitcoin: Pesquisas apontam que mineração ilegal cresceu 459% neste ano

FONTE: CRYPTOVEST