PLUBR: Startup brasileira irá lançar rede social baseada em blockchain

Startup Plubr cria nova rede social com modelo diferenciado

As redes sociais integram cada vez mais o dia-a-dia da população, que está cada vez mais conectada ao mundo e à comunidade em geral.

Aproveitando o espaço e as oportunidades geradas, a startup brasileira Plubr irá lançar uma nova rede social alimentada pela tecnologia blockchain.

Levando o mesmo nome da empresa, a nova plataforma se baseia no conceito de diversidade, e adota ideais como pluralidade e inovação. A iniciativa visa oferecer um “ecossistema completo” no qual o usuário é bonificado (em criptomoedas) por acessar e interagir.

“Um projeto inovador e ousado que usa o melhor da tecnologia Blockchain /DLT em sua infraestrutura. (…) Estamos dando o próximo grande passo em nossa missão de trazer o uso da tecnologia Blockchain para a vida cotidiana das pessoas.”

Buscando oferecer um “espaço de renovação de ideias” e atrair os usuários pela apresentação de um modelo diferenciado, a empresa abordou áreas do mercado digital que se destacam com um “desenvolvimento lucrativo acelerado”, como e-commerce, imóveis, publicidade online, etc, unindo os pontos principais para proporcionar uma nova experiência ao usuário.

“A preocupação é levar ao usuário algo totalmente diferente do que ele está ambientado, oferecendo novas ferramentas e renovar sua concepção de interatividade.”

Atualmente a startup possui escritórios físicos no Reino Unido e Estados Unidos, com “hubs” de abertura em estado avançado na Austrália, Canadá, Bulgária, Nova Zelândia e Alemanha (entre outros).  De acordo com Afredo Miranda, CEO e fundador da Plubr, o objetivo é estabelecer “34 escritórios físicos espalhados pelo mundo para cobrir, na data do lançamento, mais de 140 países”

Falando sobre as pretensões da empresa, Miranda afirma que a Plubr possui a missão de “fornecer aplicações que aprimorem e conectem a vida das pessoas e organizações respeitando sua privacidade com o uso massivo da tecnologia Blockchain”.

“Estamos desenvolvendo uma plataforma pensada no conceito de WEB 3.0. Nesta nova Web os conceitos de IoT e remuneração de dados são compartilhados com privacidade e foco no ‘controle’ do usuário, ou seja, você é dono de seus dados e decide como, onde e de que forma pode contribuir para esta aldeia global”, disse.

O CEO afirma ainda que a arquitetura da plataforma irá nascer com o uso do blockchain para funcionalidades que incluem, mas não se limitam, ao uso de criptomoedas.

Falando sobre a bonificação, Miranda afirma que as tecnologias “que mais se enquadram” no modelo de negócios são EOS, TRON e Hedera Hashgraph.

Evento de pré-lançamento

Para apresentar sua iniciativa ao mercado, a Plubr irá realizar o pré-lançamento da plataforma na próxima quarta-feira (22), durante o primeiro de muitos eventos organizados pela empresa nos quais serão abordados temas como empreendedorismo, captação de recursos, conceito de tokens, adoção de tecnologias blockchain, leis e conformidade regulatória, privacidade, e criptoativos.

O evento será realizado no Google for Startups Campus, em São Paulo, e irá contar com palestrantes como Courtnay Guimarães Junior, Líder de IA e Blockchain da BRQ Digital Solution, Gustavo Rodrigues, Líder de Compliance na Basement.io, e Rodrigo de Campos Vieira, Advogado de Tecnologia e Inovação na PG Advogados.

A empresa também irá realizar meetings regionais, que serão mais técnicos para receber desenvolvedores. Durante as reuniões, serão abordados assuntos como tokens, Dapps, contratos inteligentes, Java, Go Restful, NodeJS, APIs, React, HTML, etc.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli