“Poketoshi” levará Pokémon para a Lightning Network

O engenheiro de software português João Almeida criou o “Poketoshi”, uma plataforma que permite aos seus usuários jogarem Pokémon na Lightning Network, relatou o The Next Web hoje.

Leia mais: Diretor da nova associação de banqueiros de Malta elogia o blockchain e afirma que criptos vieram para ficar

Lightning Network é uma solução de segunda camada para as limitações de escalabilidade do Bitcoin, abrindo canais de pagamento entre usuários e mantendo a maioria das transações fora da cadeia principal, transformando o blockchain principal em um registro dos resultados.

O Poketoshi utiliza a Lightning Network em conjunto com a plataforma de transmissão ao vivo Twitch, permitindo que usuários interajam com o jogo através de um chat – semelhante à série Twitch Plays Pokémon.

Poketoshi implementa um controle virtual por meio da LN para que os usuários enviem seus comandos, cobrando 10 Satoshi por comando, sendo um Satoshi igual a uma centena de milhão de um bitcoin.

Os pagamentos são feitos por meio do OpenNode, um processador de pagamento de Bitcoin. O jogo é uma forma descontraída de testar a ambição do protocolo em facilitar o processamento de pagamentos em grandes volumes.

Conforme ressalta o The Next Web, muitos usuários de Poketoshi já estão fazendo alusões à rivalidade entre defensores de Bitcoin Cash e Lightning Network, com aqueles argumentando que o hard fork BCH é uma resposta melhor ao problema de escalabilidade, comparada à solução de segunda camada.

Leia mais: Lan houses são hackeadas na China para minerar Siacoin

Nos tweets de usuários de Poketoshi, um rival dentro do jogo chamado “BCash” sofreu um destino amargo na nova plataforma:

Em fevereiro deste ano, Laszlo Hanyecz, o homem que completou a primeira transação documentada de BTC por um item físico em 2010, pagando 10 mil BTC por duas pizzas, repetiu a compra histórica com a Lightning Network – de forma um pouco diferente, já que ele teve que pedir ao seu amigo em Londres para fazer um “subcontrato” com a pizzaria local, a fim de conseguir efetuar o pagamento por meio da LN, tendo em vista que o software de atomic swap ainda estava indisponível.

Em março, a LN galgou grandes passos em direção à adoção pelo mainstream, tendo em vista que seu primeiro produto da mainnet foi lançado, seguido por diversas ferramentas criadas por desenvolvedores privados.

A primeira carteira desenvolvida para ser utilizada com a Lightning Network foi lançada no dia 4 de abril.

Leia mais: Bitcoin atingirá US$60 mil este ano, afirma CEO do Blackmore Group

Fonte: The Cointelegraph