Polícia russa confisca caixas eletrônicos de Bitcoin

Sob ordem do Banco Central russo, 22 caixas eletrônicos de bitcoin são apreendidos

Artem Bedarev, diretor da BBFpro (empresa responsável pelos terminais de bitcoin) disse estar confuso com a atitude tomada, em razão de que não houve investigação preliminar ou aviso prévio.

De acordo com o advogado da empresa Sarkis Darbinyan, a BBFpro estava em dia com os impostos e procedimentos estatais. Disse ainda que a empresa sofrerá danos em sua economia e reputação, visto que já perdeu alguns clientes.

Webitcoin: Polícia russa confisca caixas eletrônicos de Bitcoin

Leia mais:Russia usará tecnologia Blockchain para regularizar contratos do Fundo de Pensão

Aparentemente, a decisão partiu do Gabinete do Procurador Geral da República, baseada em uma carta recebida do Banco da Rússia.

Um funcionário do Banco Central chegou a se pronunciar, declarando que havia a necessidade de uma investigação para identificar possíveis atividades e transações ilegais.

Em seu site, a BBFpro informa que o usuário pode adquirir bitcoins em uma quantia equivalente a 15000 rublos. Para maiores valores, o cliente deve fornecer uma foto do passaporte, uma selfie com seus documentos, número de telefone, etc. Ao final da compra, o preço do bitcoin é definido em rublos pela taxa de câmbio.

Os terminais estavam localizados em shoppings, lojas e bares. A previsão para o término da investigação é de aproximadamente 6 meses.

Leia mais: Banco Central do Laos desencoraja utilização de criptomoedas

FONTE: CCN