Polkadot: entenda de vez como funciona

Este projeto quer resolver problemas de escalabilidade e interoperabilidade no mundo das criptomoedas

Polkadot: um dos projetos mais complexos do mundo das criptomoedas

Polkadot é um dos projetos mais complexos e ambiciosos que existem no mundo das criptomoedas, que visa permitir a transferência de informações entre Blockchains de qualquer tipo e resolver problemas de escalabilidade. O projeto é liderado por um dos membros fundadores do ethereum, Gavin Wood.

O projeto é construído para conectar redes privadas e de consórcios, redes públicas e sem permissão, oráculos e tecnologias futuras que ainda não foram criadas. Ele facilita uma internet onde blockchains independentes podem trocar informações e transações de forma confiável através da cadeia de retransmissão Polkadot.

Resumindo Polkadot é uma plataforma multi-cadeia.

Para se ter uma ideia escalabilidade e operabilidade são dois dos maiores problemas que as redes blockchain enfrentam atualmente.

Primeiro porque a escalabilidade devido à sua arquitetura a maioria das redes são saturadas, além de lentas, portanto, com o tempo, será ainda mais difícil para elas fornecerem o desempenho necessário para serem usadas em escala global. E operabilidade porque a grande maioria das blockchains opera de forma totalmente independente e isolada. Cada projeto faz sua própria função e não há como se comunicar entre diferentes cadeias.

A rede Polkadot é um sistema multicadeia, que conecta várias cadeias em uma única rede e permite que elas processem transações em paralelo e troquem dados entre si.

Início

Em 2016, o whitepaper foi publicado por Gavin Wood, que foi um dos cofundadores da Ethereum e por algum tempo seu CTO. Vitálik Buterin é provavelmente o rosto mais conhecido por trás do Ethereum, Gavin Wood foi provavelmente uma das figuras mais importantes.

Gavin teve um papel fundamental na criação do Solidity, a linguagem de programação para escrever os contratos inteligentes que são usados ​​em diversas plataformas de, entre elas a da ethereum. E ele também publicou o chamado Yellow paper, definindo o que hoje é conhecido como Ethereum Virtual Machine.

E foi aí, insatisfeito com o lento progresso do Ethereum 2.0, Gavin Wood começou a trabalhar em uma plataforma ideal e no final de 2016 publicou o Whitepaper Polkadot.

Em outubro de 2017, ocorreu a venda pública do DOT, o token Polkadot. Conseguiu arrecadar impressionantes US $ 140 milhões em troca de 50% dos 10 milhões de tokens emitidos.

Sistema Polkadot

Polkadot é construído no Substrate, um protocolo da empresa Parity que permite aos desenvolvedores criar e personalizar projetos Blockchain. O principal benefício disso é a compatibilidade, pois todos os projetos Blockchains e aplicativos baseados em Polkadot podem se comunicar, transacionar e transferir dados com outros projetos externos que também são baseados Substrate.

Mas o mais importante e impressionante é a arquitetura da rede Polkadot, pois é uma blockchain fragmentada. Em outras palavras, trata-se de uma cadeia de blocos que foi dividida em vários componentes encarregados de diferentes funções que podem ser distribuídos em diferentes cadeias, o que permite o processamento paralelo, ou seja, muito mais transações no mesmo período de tempo.

O processamento paralelo é muito mais rápido, e essa é uma das razões pelas quais o Ethereum também decidiu introduzir cadeias paralelas no Ethereum 2.0. No caso de Polkadot, essas cadeias separadas são chamadas de Parachains. Cada Parachain separada é uma blockchain em si.

Parachains podem se conectar a outras redes dentro do ecossistema Polkadot usando o que é chamado de Relay chain, que é o coração do Polkadot. É responsável pela segurança compartilhada, consenso e interoperabilidade entre as cadeias.

Consenso Polkadot

Polkadot não usa o mecanismo de Prova de Trabalho. Não há mineração. Como no Ethereum 2.0, o Polkadot usa o mecanismo Proof of Stake. Com a diferença de que isso é chamado de Prova de Participação Nomeada.

Ao atribuir várias funções, a Polkadot espera ter uma versão muito mais segura e descentralizada da prova de participação. Somente aqueles que estão dispostos a comprometer capital podem participar.

Governaça

Em blockchains tradicionais, a atualização do código geralmente é feita por fork. O novo código deve ser ramificado do código antigo e todos os nós devem concordar em executar o novo código com todas as alterações feitas. Mas se nem todos concordarem, ocorre uma divisão, com duas blockchains diferentes que dão origem a dois projetos diferentes.

A Polkadot desenvolveu um sistema de governança capaz de evitar a necessidade de qualquer tipo de fork. As blockchains podem ser atualizadas sem qualquer interação humana. Essencialmente, a blockchain Polkadot possui um sistema de mecanismo de votação na Relay Chain. Os participantes podem votar em iniciativas de desenvolvimento destinadas a melhorar e proteger a rede Polkadot.

E, como em muitos outros protocolos de governança, o token nativo é usado para participar da tomada de decisões e da governança. Em outras palavras, você deve ter DOT para participar. Cada uma das Parachains individuais é livre para desenvolver seus próprios mecanismos de governança e não precisa se adequar à rede Polkadot, o que lhes dá a liberdade de desenvolver mecanismos adaptados às suas circunstâncias individuais.

Lembremos que o mais importante de um projeto é seu efeito de rede, quantas pessoas o utilizam e quais tipos de projetos são desenvolvidos dentro de uma determinada Blockchain.

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8