O que você precisa saber sobre Trilema blockchain e Algorand

O trilema blockchain se apoia em três aspectos fundamentais de uma rede, vamos entendê-los melhor e ver onde Algorand se encaixa

O que você precisa saber sobre Trilema blockchain e Algorand

Se você tem algum conhecimento básico sobre Blockchain, provavelmente já ouviu falar sobre o termo “trilema blockchain”. Esse conceito foi abordado em 2016 por Vitalik Buterin, cofundador da Ethereum, segunda maior cripto do mercado.

Vitalik disse que trilema blockchain são os desafios enfrentados pelos desenvolvedores na construção de uma infraestrutura descentralizada, segura e escalável ao mesmo tempo. Acredita-se amplamente que um dos três conceitos deve ser sacrificado em favor dos outros dois.

Por exemplo, o protocolo Proof of Work (POW) de recursos da blockchain ​​do Bitcoin, que é baseado em um sistema de incentivos que recompensa os mineradores por proteger a rede através do uso do poder de processamento do computador, não conseguiu escalar o suficiente para ser usado como meio de troca e agora está centralizado em muitos aspectos.

A mineração tornou-se tão intensiva em recursos que só é feita por grandes operações, enquanto a única recompensa para usuários ou adotantes iniciais é a valorização do preço. Isso incentiva o entesouramento em vez do uso. Para aumentar o problema, a centralização resultante na mineração e propriedade pode, por sua vez, ter implicações de segurança, pois cria pontos únicos de falha.

Busca por soluções

O Ethereum, que também dependia de um protocolo POW menos intensivo em recursos, sofreu consequências semelhantes devido às complexidades adicionais que os contratos inteligentes trazem para escalabilidade e segurança da sua rede blockchain. Por conta disso, o Ethereum está mudando para um protocolo Proof of Stake (POS) que recompensa aqueles que protegem a rede financeiramente e de acordo com sua participação.

Embora isso resolva a escalabilidade, já que os mineradores serão substituídos por stakers. Certamente haverá grandes operações de staking e alguns, como Jack Dorsey, argumentam que o desenvolvimento é tão complexo que a maior parte do ecossistema pertence a empresas capitalistas de risco.

Algorand

Aí entra Silvio Micali, Algorand e “Pure Proof of Stake”. Vale ressaltar que, segundo a Wikipedia, ele é o vencedor do Turing Award por seu trabalho em cripto e um dos co-inventores das Provas de Conhecimento Zero que estão no centro das soluções de escalabilidade Ethereum 2.0.

Algorand usa a teoria dos jogos de uma maneira completamente diferente. Como o próprio Silvio Micali disse, não há “incentivos”.

Cada detentor de token é recompensado com ALGOs apenas para manter ALGOs e não há recompensas extras por mineração ou staking. A Algorand opta por incentivar seus usuários em vez de recompensar apenas aqueles que geram o próximo bloco da cadeia (mineradores).

A mineração é feita de forma extremamente simples para que os mineradores fiquem satisfeitos com seu trabalho extra apenas pela gratificação de beneficiar o sistema como um todo. Os incentivos entre mineradores e usuários são essencialmente revertidos aos usados ​​no Bitcoin.

Por que ser minerador?

Para um bem maior e porque você está investindo seu tempo e esforços na construção da infraestrutura do amanhã. Na verdade, isso é exatamente o que os primeiros desenvolvedores e cientistas da computação em Bitcoin e Ethereum fizeram, e eles foram generosamente recompensados ​​apenas pela valorização do capital.

A outra abordagem inovadora é sobre como os mineradores são selecionados para minerar o próximo bloco. A aleatoriedade é muito usada em Bitcoin e Ethereum por meio de algoritmos SHA 256 e Hashing. A mineração, no entanto, é recompensada pelo trabalho árduo, que consome tempo, pois os mineradores competem para resolver quebra-cabeças criptográficos.

Não só leva 10 minutos para minerar um bloco, mas vários blocos podem ser minerados ao mesmo tempo, o que implica que uma transação só é realmente confirmada após 6 blocos. Imagine esperar 60 minutos depois de pagar sua conta. Acrescente a isso a eletricidade consumida para minerar essa transação.

Soluções para os problemas?

Em Algorand, um usuário é primeiro selecionado aleatoriamente para construir e propagar um bloco, enquanto um conjunto muito grande de outros usuários também é selecionado aleatoriamente para concordar ou discordar desse bloco proposto por meio de uma forma revisitada do Acordo Bizantino.

A principal suposição aqui é que a maior parte da sociedade é honesta e, portanto, que a maior parte do dinheiro está em mãos honestas. As camadas de aleatoriedade usadas no estágio de proposta e no estágio de acordo garantem que o bloco e seu conteúdo estejam corretos, reduzindo a zero as chances de maus mineradores conspirarem ou subornarem os honestos.

Os membros do comitê se selecionam executando uma loteria criptográfica individual onde os vencedores têm o direito de entrar no Acordo Bizantino. A chance de ganhar na loteria é proporcional à quantidade de dinheiro que se tem no sistema. Como as loterias criptográficas de auto-seleção são executadas internamente, torna-se impossível para alguém tentar corromper um membro do comitê. O sistema é escalável, pois a loteria acontece em um microssegundo.

Os cálculos são simplificados para que os requisitos pesados ​​do sistema ou potenciais economias de escala não resultem em centralização. O resultado é uma blockchain sem forks, pois apenas um bloco é apresentado por vez, o que significa que as transações são finais e não precisam de mais confirmações. Elas são rápidas e baratas para o usuário e a sociedade como um todo. É neutro em carbono.

Estrutura

As transações consistem em 4 etapas em que um comitê diferente é selecionado a cada vez. O Acordo Bizantino é feito apenas de mensagens simples e curtas que resultam em transações quase imediatas.

Mais importante ainda, o fato de os membros do comitê serem selecionados aleatoriamente em cada etapa do processo e de acordo com seus interesses contribui para um protocolo que deve ser menos resiliente a mudanças. Ao contrário do Bitcoin, nenhuma entidade deve ser capaz de bloquear repetidamente propostas de governança de acordo com seus próprios interesses.

Este deve ser um fator chave de sucesso, pois funcionalidades cada vez mais complexas, contratos inteligentes e outros aplicativos são rapidamente adicionados à blockchain.

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8