Presidente da Argentina realiza aposta que poderá tornar o Bitcoin a moeda nacional

A moeda poderá ser utilizada para alavancar a economia

Tim Draper, conhecida figura do bull market, recentemente aconselhou o presidente da Argentina a legalizar o Bitcoin para melhorar a situação econômica do país.

O investidor se reuniu com o presidente Mauricio Macri no dia 20 de março (quarta-feira) para discutir as perspectivas econômicas da Argentina. Durante a reunião, Draper discursou sobre o potencial do blockchain e das criptomoedas para melhorar o cenário do país, incluindo a desvalorização do peso (ARS), moeda nacional.

“Estávamos falando de Bitcoin e da desvalorização do peso, e eu propus uma aposta: se o peso fosse mais valorizado do que o Bitcoin, eu dobraria o investimento que estava realizando para o país. Mas se o Bitcoin ganhar uma taxa mais elevada que o peso, eles teriam que declará-lo como uma moeda nacional. Essa seria a decisão perfeita, visto que há uma falta de confiança nesta moeda.”

Após a reunião, o investidor explicou sua postura pró-cripto durante uma entrvista com María Julieta Rumi, dizendo que ele acredita que o Bitcoin e o blockchain são uma revolução maior que a internet.

Draper afirmou que é um bom momento para adortar a tecnologia no país, alegando que a iniciativa poderá proporcionar mudanças completas nos sistemas comercial, financeiro e bancário. Ele também reiterou sua postura otimista quanto à moeda, prevendo que o Bitcoin atingirá US$250.000 entre 2022 e 2023, e representará 5% da participação global de todos os mercados.

De acordo com Draper, assim que as pessoas conseguirem utilizar o ativo no dia-a-dia, tal como pesos ou dólares, irão optar pelo Bitcoin por ser “descentralizado, aberto, sem atrito e global”.

Em fevereiro o investidor disse que em cinco anos as moedas fiduciárias serão utilizadas apenas por criminosos. Em paralelo, a Argentina tem demonstrado uma postura muito amigável em relação ao novo setor, adotando desenvolvimentos relacionados ao blockchain e às criptomoedas.

No início de março, o governo do país concordou em co-investir em iniciativas blockchain apoiadas pela Binance Labs e pela LatamEx. Changpeng Zhao, CEO da Binance, também sugeriu o estabelecimento de uma nova exchange fiat-to-crypto na Argentina.

Em fevereiro o país fechou um acordo de exportação em Bitcoin, vendendo pesticidas e produtos de fumigação a US$7.100 para o Paraguai. A compra foi paga com a criptomoeda, que posteriormente foi convertida em pesos argentinos.

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli