Presidente do Banco Central do Brasil espera ter novidades sobre um CBDC “em breve”

Nenhuma decisão foi tomada ainda sobre o real digital

O maior país da América Latina poderá ter sua moeda digital do banco central (CBDC) em breve, já que o banco central brasileiro está tomando medidas para criá-la. Recentemente, o presidente do Banco Central do Brasil (BCB) deu a entender a possibilidade de ter notícias sobre o assunto “em breve”.

Em debate online promovido pelo Banco da Espanha, citado pela Reuters, Roberto Campos Neto destacou que o banco central está “avançando” nos planos de digitalizar o real.

Ele ligou para os bancos centrais em todo o mundo para continuar discutindo sobre os CBDCs e aprofundar suas negociações para avançar na digitalização da economia:

“Estamos fazendo um grande avanço no processo de moeda digital e devemos ter novidades em breve.”

No entanto, Campos Neto não detalhou os avanços do banco central. Mesmo assim, ele destacou que alguns temas ainda estão em aberto, como se o “real digital” renderá juros e que tipo de tecnologia hospedará o CBDC.

O Brasil tem estudado CBDC desde 2020

De maneira geral, o Brasil tem testemunhado um aumento no uso de pagamentos eletrônicos em todo o país, à medida que mais brasileiros adotam cada vez mais soluções móveis para tais fins.

Devido ao crescente interesse dos cidadãos, o BCB encomendou no ano passado um grupo de estudos para pesquisar a questão do CBDC para “avaliar os benefícios e impactos potenciais da emissão do real em formato digital”. O banco central estabeleceu a seguinte meta:

“Entre os objetivos do grupo de estudos está a proposição de um modelo de emissão de moeda digital cobrindo o mapeamento de risco – incluindo segurança cibernética, proteção de dados e questões de conformidade regulatória -, bem como uma análise dos impactos do CBDC na inclusão e estabilidade financeira e na conduta de políticas econômicas.”

Dito isso, o banco central do Brasil espera avaliar a viabilidade de gerar um ambiente adequado para o desenvolvimento de uma “cidadania financeira” com a criação de um CBDC:

“Além da redução de custos do ciclo do dinheiro, uma moeda digital emitida pelo BCB pode apoiar seu objetivo estratégico de ‘fomentar a cidadania financeira e estreitar o relacionamento com a sociedade e os poderes públicos’. Uma moeda eletrônica pode aumentar a segurança no manuseio e custódia do dinheiro, além de criar instrumentos de política monetária.”

Fonte: Bitcoin.com

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.