Professores de Oxford planejam lançar a primeira universidade descentralizada do mundo, baseada em blockchain

Um grupo de professores de Oxford está buscando poderes para garantir diplomas na primeira universidade em blockchain da Europa.

Leia mais: Membro da SEC afirma: ether não é um título financeiro

Segundo a equipe de acadêmicos por trás da Woolf Development, liderada por Joshua Broggi da Faculdade de Filosofia de Oxford, a tecnologia blockchain e os smart contracts podem democratizar a estrutura tradicional do ensino superior.

A proposta universidade em blockchain adotará o tradicional curso Oxbridge, ao focar em módulos individuais realizados por meio de tutoriais, que estarão disponíveis para os estudantes online ou offline. O design do projeto é geograficamente agnóstico, priorizando uma comunidade acadêmica sem fronteiras.

O whitepaper da Woolf sugere que uma universidade baseada em blockchain pode lidar com os problemas que atualmente afetam as universidades do mundo todo, incluindo o alto custo para receber educação, burocracia excessiva e custos administrativos, além de cargos de ensino precários e mal remunerados.

Conforme o whitepaper ressalta, a imutabilidade do blockchain pode funcionar para prevenir que estudantes falsifiquem seus históricos acadêmicos, com smart contracts automatizando a presença dos alunos, além de créditos e entrega de tarefas.

Broggi contou ao site Cointelegraph que a Woolf está buscando poderes para garantir diplomas integrais na Europa, sendo oferecido um caminho sem restrições para dar todos os créditos possíveis em duas jurisdições europeias, elaborando:

“Nós estamos utilizando um blockchain para exercer a regulamentação e fornecer diplomas com dados seguros, de forma que reguladores tenham a confiança de que nós forneceremos instrução confiável e diploma na Europa. Desta forma, um estudante da Woolf de Madras, com um professor da Woolf de Nova York, receberá um diploma europeu.”

Leia mais: Agora foi! Blockchain da EOS é oficialmente lançado!

A primeira faculdade da Woolf, chamada Ambrose, está prevista para ser lançada no terceiro trimestre deste ano. As taxas propostas são de US$400 por tutorial, ou US$19200 por ano.

Caracterizando o projeto como um “Airbnb de cursos superiores” para estudantes, e uma comunidade democrática, descentralizada e sem fins lucrativos para os tutores, os acadêmicos enfatizaram que o blockchain é a tecnologia chave para fornecer a estabilidade contratual necessária para completar um curso completo de estudo.

Um nativo e totalmente pré-minerado token WOOLF (formato ERC-20) será utilizado para executar as funções, incluindo compensações, orçamento da universidade, desenvolvimento de projetos e votação sobre a governança da plataforma.

O blockchain já causou um impacto significativo no conteúdo, se não na estrutura, do ensino superior, com grandes universidades mundiais oferecendo cursos relacionados a blockchainsmart contracts e criptomoedas. Instituições como a Universidade de Cambridge conduziram pesquisas substanciais na área de cripto finanças, além da Universidade de Lucerne até mesmo aceitar pagamentos em Bitcoin pela instrução.

Leia mais: Patente do Walmart visa criar rede elétrica baseada em Bitcoin

Fonte: The Cointelegraph