Proteção de dados – analisando mais de perto o sinal e o HUH Token

A mídia social enfatiza que devemos cuidar dos nossos dados, mas ao entrar em qualquer site com boletim informativo, você precisa colocar endereço de email, principalmente

Proteção de dados – analisando mais de perto o sinal e o HUH Token

É uma prática padrão ao se inscrever em qualquer site de mídia social ou boletim informativo para fornecer seu nome, endereço de e-mail e número de celular. É algo sobre o qual não pensamos duas vezes, afinal, como um endereço de e-mail poderia ser transformado em arma?

O Facebook, agora Meta, passou de um projeto de estudante universitário para um gigante corporativo de US $ 86 bilhões devido à nossa própria vontade de colocar informações pessoais online para fins de “redes sociais”, o que quer que isso signifique.

Isso fez com que a divulgação de dados sociais como nosso aniversário, hobbies e status de relacionamento parecesse divertida, em que pudemos afirmar nosso próprio senso de auto-importância. Colocar-se online parecia alarmantemente livre de riscos até a década passada, quando o Facebook, Cambridge Analytica Data Scandal destacou como as empresas estavam utilizando essas informações para alimentar campanhas políticas, principalmente a eleição presidencial dos EUA de 2016.

O escândalo é considerado parcialmente responsável pela vitória presidencial de Donald Trump, bem como pelo Brexit.

Em última análise, o escândalo nos ajudou a perceber o poder dos dados em grande escala. Quanto mais se sabe sobre nossos hábitos e preferências, mais podemos ser manipulados para agir no interesse de alguns seletos. Após essa descoberta, aplicativos de mensagens criptografadas, como Telegram e Signal, aumentaram em popularidade.

WhatsApp está tentando diminuir a taxa de migração da plataforma por meio de publicidade que enfatiza a natureza criptografada das mensagens. Da mesma forma, seguindo a tração, a Signal recentemente se aventurou na criptosfera integrando o MobileCoin para que os usuários possam enviar e receber “pagamentos focados em privacidade”, cuja facilidade eles comparam a mensagens de texto.

A mineração de mídia social é uma prática altamente controversa, mas legal, que significa que, por meio de processos como criação de perfis de culinária, nossos dados são transmitidos a terceiros que nos bombardeiam com publicidade com base no que analisamos ou pesquisamos.

Eles são essenciais para aumentar os lucros das empresas e significam que estamos sujeitos a comprar coisas de que não precisamos. Além disso, os cookies corroem nossa escolha pessoal, os sites tendem a negar o acesso a eles, a menos que concordemos com seus cookies. Então, a solução para a mídia social se tornar descentralizada?

Após o lançamento bem-sucedido do HUH Token em dezembro, levando a um salto de preço de 6000% e sendo adicionado às plataformas UniSwap e SushiSwap, o utimeme visa criar um metaverso descentralizado no qual ganhamos com os dados que geramos. A ideia lembra um pouco a campanha #OwnYourData de Brittany Kaiser, que apelou para uma maior transparência de dados.

De acordo com o White Paper, o HUH está trabalhando para lançar o MetHUH, uma plataforma de duas camadas para produção e consumo de conteúdo. O utimeme está planejando incorporar a análise de sentimentos que recompensa tokens de sentimento que podem ser negociados por tokens HUH.

Embora pouco se saiba atualmente sobre o que esperar do MetHUH, há rumores de que centenas de influenciadores começarão a promover o HUH em 19 de janeiro. Espera-se que esse movimento faça com que milhares de pessoas se juntem ao HUH em antecipação à sua próxima plataforma social.

A sociedade já está passando por uma transição do CeFi para o DeFi. À medida que nos beneficiamos das criptos, que nos concede mais autonomia e controle sobre nossas finanças, não seria surpreendente se as mídias sociais dessem o próximo salto para o DeFi.

Saiba mais sobre HUH Token aqui:

HUH Official Swap- https://swap.huh.social/

Telegram: https://t.me/HUHTOKEN

Twitter: https://twitter.com/HuhToken

Instagram: https://www.instagram.com/huhToken/

Conteúdo Patrocinado

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8