Bilionário Ray Dalio afirma que “dinheiro é lixo” e ações são inúteis

Bilionário Ray Dalio afirma que "dinheiro é lixo" e ações são inúteis
Ray Dalio, que já foi crítico do Bitcoin no passado, hoje diz ter o ativo em seu portfólio. Imagem: Reprodução.

Gerente do fundo de hedge, Ray Dalio acredita que o Bitcoin desempenha um papel entre o ouro e outros ativos em um portfólio bem diversificado.

O fundador da Bridgewater Associates, Ray Dalio, confirmou na terça-feira que uma “pequena porcentagem” de seu portfólio é alocada ao Bitcoin. Ele reconheceu como isso poderia desempenhar um papel especial no ambiente inflacionário mundial de hoje, entre um conjunto mais amplo de ativos de refúgio. As informações foram originalmente divulgadas pelo site CryptoPotato.

Dinheiro ainda é lixo

Em conversa com Andrew Sorkin, da CNBC, Dalio reiterou sua tese de que “dinheiro é lixo”, devido à velocidade com que seus detentores estão perdendo poder de compra. A inflação anual do IPC nos Estados Unidos atingiu 8,3% em abril – apenas 0,2% abaixo da alta de 40 anos do mês anterior.

Para combater isso, o Federal Reserve resolveu aumentar as taxas de juros de forma mais agressiva do que nas últimas duas décadas. No entanto, esse aperto monetário já está afetando as ações, que Ray Dalio afirma serem ainda mais “inúteis” do que o dinheiro.

“A questão é o que vai te dar um retorno real”, explicou ele. “Mudamos para um ambiente onde ativos que se saem bem, como nos anos 70 – ativos de retorno real – são os melhores investimentos.”

O bilionário acredita que a ação do Federal Reserve em encher a economia de dinheiro e crédito criou uma dívida sem precedentes, que culminará em “retornos reais negativos” em geral. No interesse da diversificação, ele mencionou o Bitcoin como digno de um pequeno papel no portfólio, desempenhando o papel de “ouro digital”.

Bitcoin: ouro ou dinheiro?

O apelido é comum para o Bitcoin, devido ao seu cronograma de emissão de fornecimento limitado projetado para imitar o do ouro físico. O gerente de fundos de hedge Paul Tudor Jones até o considerou superior ao último e sugeriu que ameaça o domínio das moedas fiduciárias produzidas pelos bancos centrais.

A discussão de Dalio sobre o ativo seguiu na mesma direção:

“Acho que estamos em um ambiente em que vamos perguntar ‘qual é o novo dinheiro'”, disse ele. “Qual é o tipo de dinheiro que você pode mover entre países, que é um meio de troca e um depósito de riqueza?”

Embora Dalio acredite que os Bitcoiners e os bugs do ouro fiquem “muito preocupados” com o Bitcoin, ele observou que fez uma “tremenda conquista” nos últimos onze anos e compõe uma “pequena porcentagem” de sua própria riqueza.

Ray Dalio uma vez criticou o Bitcoin e as criptomoedas por “falhar nos propósitos do dinheiro”, mas se virou para vê-lo como uma alternativa ao ouro nos últimos dois anos. No entanto, o investidor afirmou anteriormente que, se a criptomoeda crescer muito, o governo acabará por derrubá-la.

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.