Reduza seus riscos investindo em Bitcoin

Você corre risco ao não investir em Bitcoin… descubra o porquê

O Bitcoin é um ativo conhecido por ter alto risco e ser extremamente volátil, sendo responsável por perdas financeiras de milhares de investidores ao redor do mundo.O BTC é considerado, por muitos, como um ativo meramente especulativo.

No senso comum, acredita-se que seria uma loucura tê-lo em sua carteira de investimentos, pois considera-se que se estaria investindo em algo completamente descentralizado e sem lastro.

Essa ideia não é verdade. Aliás, muito pelo contrário: o Bitcoin pode ser um ativo muito útil para a proteção dos seus investimentos.

Isso ocorre por conta de uma característica muito importante do ativo que tornará sua carteira muito mais segura caso você invista nele: a baixa correlação com todos os ativos do mercado tradicional (tornando o BTC um grande diversificador).

Graças a essa característica, ao não investir em Bitcoin, você correrá um risco maior de ter uma performance negativa em sua carteira do que se você estiver investindo na criptomoeda.

Para explicar um pouco melhor isso, Orlando Telles, responsável pela parte de Research na Mercurius Crypto, gestora de criptomoedas, mostrou os principais motivos pelos quais você dever ter o Bitcoin em sua carteira de investimentos.

“Se você busca ter uma carteira bem protegida e com uma perspectiva de alta rentabilidade no médio e longo prazo, a diversificação é essencial, e o Bitcoin é o melhor diversificador do mercado financeiro nesse momento”.

Mas por que diversificar?

Quando o assunto é investimento, uma das principais regras que se aprende é a diversificação. Pela teoria de Markowitz de Alocação de Carteiras você deve diversificar os seus investimentos em vários mercados (e que não estejam muito correlacionados). Ou seja, buscar mercados que não estejam simultaneamente relacionados e apresentem o mesmo comportamento de preço.

Logo, quando ocorrer a desvalorização do ativo 1, a performance de sua carteira não será completamente comprometida, visto que você terá partes de seu capital alocados em outros ativos que podem segurar ou até recuperar o dinheiro investido no primeiro.

O problema, meus amigos, está no excesso de correlação. Em um mundo cada vez mais globalizado, fica muito difícil encontrarmos algum mercado que não esteja correlacionado com os demais, principalmente quando se trata de investimentos no mercado tradicional.

De maneira que, em momento de uma crise mundial, como foi o caso de 2008, torna-se quase impossível encontrar um porto seguro. E a pergunta que fica é: existe alguma alternativa para resolver esse problema?

Então é possível reduzir meu risco? O Bitcoin como diversificador

Nesse ano, analisamos uma pesquisa da Binance Research – cuja finalidade era de compreender como o Bitcoin poderia ser alocado em um Portfólio de Investimentos. Nessa pesquisa, entende-se que o criptoativo possui uma correlação menor do que 0,1 com qualquer outro ativo do mercado tradicional de investimentos. Como você pode ver no gráfico abaixo:

Isso, obviamente, evidenciou o quão alto é o potencial do ativo como um diversificador. O gráfico quase que grita: COMPRE BITCOIN AGORA! E mantenha-os em sua carteira!

Essa pesquisa também ressaltou o potencial do criptoativo em aumentar a rentabilidade de uma carteira, caso você tenha parte do seu capital de risco em investimentos que utilizam cirptomoedas.

E é sempre importante lembrar: estamos falando sobre um mercado que está em plena expansão e que tende a ganhar uma grande valorização no futuro, por estar se tornando, cada vez mais, uma alternativa ao mercado de ações.

Investidores institucionais estão comprando Bitcoin

Outro indicador que mostra o potencial que o Bitcoin possui para ser um ativo diversificador e essencial em sua carteira, é o número de investidores institucionais que estão comprando Bitcoin para se proteger de uma eventual crise.

Quando observamos a CME e a Bakkt (plataformas para investidores institucionais) batendo recordes em volume de negociação, é possível notar que os investidores tradicionais estão interessados no mercado de criptomoedas e estão utilizando esse como um meio de proteção de seus investimentos.

Fato é, que no início deste ano, quando estávamos em um momento tenso de guerra comercial entre EUA e China, a correlação entre o Bitcoin e o ouro disparou, chegando a 0,827 (o movimento do Bitcoin e do ouro apresentavam o mesmo comportamento em 82% do tempo nesse período).

Isso mostra que em momentos de crise o Bitcoin possui uma forte correlação com o ativo que é usado como porto seguro pela maioria dos investidores institucionais. Fazendo com que o Bitcoin, aos poucos, caminhe para virar o novo porto seguro e se torne o ouro digital.

Dica ao leitor

Para você que chegou até aqui e investe em ações e fundos imobiliários, aqui vai uma dica final: busque diversificar seu patrimônio para reduzir seus riscos e ter uma rentabilidade mais constante e com maior potencial de lucro.

Sugiro que você estude sobre o Bitcoin e as criptomoedas, e dessa forma invista parte do seu capital de risco em investimentos relacionados a essa categoria de ativo. Com certeza, isso dará mais segurança ao seu portfólio e você estará acompanhando as tendências de investimento e diversificação dos maiores investidores e bancos do mundo.

Caso tenha interesse em se aprofundar no mercado, sugiro que acompanhe os conteúdos da Mercurius Crypto, através de nosso site. Não esqueça: sempre fique por dentro do mercado que você está investindo!

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.