Reguladores chineses querem banir a mineração de Bitcoin

País com maior concentração de mineradoras do mundo poderá banir a prática

Na última segunda-feira, 8 de abril, a Comissão de Desenvolvimento e Reforma Nacional (NDRC) da China publicou um rascunho do Catálogo de Orientações para Ajustamento de Estrutura Industrial, onde listou uma série de setores a serem promovidos, restritos ou eliminados do país.

Dentre os setores listados para eliminação estava a mineração de Bitcoin. De acordo com o rascunho, a atividade é um risco pois “não tem condições seguras de produção, os recursos são seriamente desperdiçados” e polui o meio ambiente, entre outros.

Visto ser um rascunho que aguarda comentários públicos, a publicação não possui poder regulatório, e muito menos cita uma data na qual tanto a mineração quanto outras atividades “eliminadas” devem cessar.

Caso seja efetivada, a lista pode fechar as portas de milhares de estabelecimentos no país. No caso da mineração de Bitcoin o impacto seria grande, visto que a China atualmente concentra a maior porcentagem de mineradoras de todo o mundo.

Sorte ou revés?

Apesar da notícia parecer um tanto ruim, muitos analistas apontam que irá ajudar a alavancar ainda mais o valor do Bitcoin.

Changpeng Zhao (CZ), CEO da Binance, recentemente publicou um gráfico do valor do ativo em seu perfil no Twitter marcando a data em que o governo chinês decidiu proibir a moeda. Dois meses após a decisão, o valor do Bitcoin atingiu grandes níveis.

WeBitcoin: Reguladores chineses querem banir a mineração de Bitcoin

O que isso diz?

Pelo que muitos dizem, este pode ser o “empurrão” que o ativo precisa para voltar a valores próximos da alta histórica.

Recentemente o WeBitcoin noticiou que o trader Crypto Thies afirmou que o Bitcoin poderá atingir US$8.400 nas próximas semanas. Caso a proibição se concretize e gere um impacto positivo no mercado, sua previsão pode estar certa.