Rejeição do ETF proposto pelos gêmeos Winklevoss deixa o Bitcoin novamente abaixo dos US$8 mil

O valor do Bitcoin declinou 4% quase imediatamente após a Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC) negar o pedido dos gêmeos Winklevoss de criar um ETF baseado na criptomoeda.

ETF e sua importância

Uma súbita queda no valor do BTC de US$8300 para US$7900 fez com que outros ativos e tokens de menor capitalização de mercado caíssem substancialmente em valor e volume de troca. Consequentemente, o mercado das criptos perdeu US$11 bilhões em capitalização, primariamente em razão do declínio a curto prazo do BTC.

Leia mais: Sinais de força do Bitcoin mostram interesse contínuo de compra

Exceto pela VeChain (VEN), que demonstrou um avanço de 20% no valor, apoiado por um forte impulso no dia 26 de julho, a maioria dos grandes ativos digitais e tokens experienciaram uma queda significativa em seus valores, variando de 5% a 12%.

WanChain, Komodo, Stratis, Polymath, Aion, Stellar e Basic Attention Token, que estavam apresentando bons desempenhos perante o bitcoin e o dólar americano durante os últimos cinco dias, exibiram as piores performances até agora, perdendo quase 12% de seus valores em relação ao dólar.

Embora a queda de valor da Stellar já fosse algo previsível, tendo em vista seu aumento de 20% em 25 de julho, proporcionado por uma parceria firmada pela empresa, o declínio de BAT, POLY e KMD pegou a maioria de supetão, em razão de suas sólidas performances durante o mês de julho.

Evidentemente, o BTC sofreu uma desvalorização ocasionada pela rejeição da proposta de ETF dos gêmeos Winklevoss e, em um senso lógico, se o valor da maior criptomoeda do mercado avançou de US$6800 para US$8500 impulsionada pela crença dos investidores de que o ETF seria aprovado, faz sentido que agora seu valor caia ainda mais.

Contudo, o ETF dos Winklevoss não é aquele que o mercado das criptomoedas tem antecipado desde meados deste mês. O mercado tem estado otimista em relação aos ETFs da VanEck-SolidX e da CBOE, considerando que ambas são instituições financeiras estadunidenses estritamente reguladas e bem organizadas.

Especificamente, a VanEck tem a experiência de requerer, lançar e supervisionar diversos ETFs, firmando uma parceria estratégica com a SolidX para auxiliar na aprovação de seu ETF baseado em Bitcoin pela SEC.

De forma geral, grandes investidores expressaram sua descrença em relação à aprovação de um ETF até o fim de 2018, e mesmo com os ETFs das empresas acima mencionadas, os investidores esperam que a SEC adie sua decisão para o início de 2019.

Leia mais: Botão do pânico, disputas judiciais e co-fundador se aventurando com criptomoedas: este é o Uber

Sobre o ETF dos Winklevoss

O anúncio vem após a SEC revisar a aplicação pela segunda vez, por meio de uma apelação feita pelos co-fundadores da Gemini, Cameron e Tyler Winklevoss. A SEC também realizou uma rodada de comentários aberta ao público para esta segunda análise. A aplicação inicial foi rejeitada em 10 de março de 2017.

Os Winklevoss modificaram partes do requerimento que a SEC classificou como problemáticas durante a primeira revisão. A SEC realizou uma nova análise partindo do zero, o que significa que os reguladores trataram a apelação como uma nova aplicação.

Razões para rejeição

O ETF da Bats Exchange foi um dos primeiros propostos à SEC em 2017. Quando está decidindo sobre aceitar um novo ETF ou investimento alternativo, a SEC se baseia na Sessão do Ato de Câmbio 6(b)(5).

Os principais pontos deste texto legal que a SEC considerou para o ETF da Bats Exchange é se a exchange tinha a habilidade de prevenir atos e práticas fraudulentas ou manipuladores, além de proteger investidores e o interesse público.

A propósito, esta parece ser uma preocupação constante dos reguladores, tendo em vista uma investigação iniciada em maio, que visava descobrir se a movimentação de valor do Bitcoin é manipulada.

Os pontos de contenção, segundo a SEC, foram que o Bitcoin não fornece segurança suficiente contra manipulações como classe de ativo, e que sua tecnologia não fornece as ferramentas necessárias para prevenir fraude e lavagem de dinheiro. As complexidades da tecnologia blockchain fizeram com que o Ato de Câmbio de Títulos fosse modificado. O ônus da prova para o requerimento de um ETF recaiu sobre os requerentes.

Para onde vai o Bitcoin agora?

É possível que o Bitcoin fique abaixo da marca de US$7700 e teste o nível de resistência localizado em US$7600 em um movimento de curo prazo. Caso continue estável na região de US$7700, uma recuperação de volta a região dos US$8 mil é um cenário provável. Contudo, caso o BTC se mova abaixo da marca localizada em US$7700 de forma relativamente rápida, uma queda para a região mediana de US$7 mil pode ser esperada.

A reação do mercado em relação ao indeferimento do pedido dos gêmeos Winklevoss foi exagerada, intensificada por investidores assustados que iniciaram um largo sell-off dentro de um período de meia hora.

Leia mais: Google acrescenta Litecoin, Bitcoin Cash e Ethereum em sua calculadora de câmbio

Fonte: CCN