Relatório aponta que incidência de cryptojacking dobrou nos últimos 4 meses

O Brasil segue liderando o ranking de países afetados

De acordo com o pesquisador de segurança VriesHd, a quantidade de roteadores MikroTik afetados por malware de mineração de criptomoedas dobrou desde o mês de agosto, atingindo um total de 415 mil.

Desde o mês 8, o VriesHd vêm relatando sobre o aumento deste tipo de mineração de criptomoedas, revelando que os roteadores da MikroTik, fabricante de equipamentos de rede, foram comprometidos por no mínimo 16 tipos distintos de malware, incluindo o Coinhive, voltado à mineração de Monero (XRM).

Durante o mês de setembro, o número aproximado de roteadores comprometidos passava de 280 mil.

De acordo com o VriesHd, os invasores recentemente mudaram do Coinhive para outros softwares, como o Omine e o CoinImp.

Como noticiado pelo WeBitcoin, a prática maliciosa afeta diversos países do mundo, com grande destaque para o Brasil.

De acordo com pesquisas, o país foi alvo do Coinhive mais de 81 mil vezes somente durante o mês de outubro. Logo em segundo lugar está a Índia, com 29 mil incidentes registrados, seguida pela Indonésia com mais de 23 mil.

FONTE: COINTELEGRAPH