Réu acusado de lavagem de US$4 milhões em Bitcoin declara que Suprema Corte grega está violando seus direitos

O indivíduo enfrenta multas de até US$122 milhões só nos EUA

A advogada de Alexander Vinnick, suposto ex-operador da já extinta exchange BTC-e e acusado de lavagem de dinheiro em Bitcoin, acusou a Suprema Corte grega de violar seus direitos de modo grosseiro.

De nacionalidade russa, Vinnick, também conhecido como “Sr. Bitcoin”, foi indiciado pelas autoridades americanas e detido na Grécia em julho de 2017 sob a acusação de fraude e lavagem de US$4 bilhões em Bitcoin via BTC-e.

A Rússia, assim como a França, tentou extraditá-lo sob mais acusações de fraude.

De acordo com sua advogada, Zoya Constantopoulous, a Corte não forneceu traduções de documentos oficiais após solicitação de seu cliente, sendo uma “violação” de seus direitos.

“…(Vinnick) não recebeu uma tradução oficial dos documentos do pedido de extradição (…) eles não possuem selos ou assinaturas”

Zoya ainda acusou o judiciário de discriminação por motivos políticos, alegando que um cidadão grego ou americano seria tradado de maneira distinta. A advogada acrescentou que o pedido que extradição da Rússia deve possuir prioridade sobre o da França.

De acordo com a mídia, o decisão sobre os pedidos provavelmente será tomada pelo Ministério da Justiça da Grécia ou pelo liderança do país.

Após o encerramento da BTC-e em 2017, os EUA solicitaram uma multa de US$110 milhões da plataforma e outros US$12 milhões de Vinnick por sua participação na lavagem de dinheiro da Exchange.

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli