Ripple anuncia lançamento de operações no Brasil

Ripple estenderá operações na América Latina

Nesta terça-feira (11) a Ripple, fintech californiana de grande impacto em soluções empresariais baseadas em blockchain para pagamentos transfronteiriços, anunciou o lançamento de operações no Brasil.

Aparentemente, a empresa está “trazendo o experiente empresário e executivo Luiz Antonio Sacco como diretor administrativo para direcionar a estratégia e construir o ecossistema Ripple na região.”

O anúncio foi realizado durante uma exibição da empresa no CIAB Febraban (Congresso de Tecnologia da Informação para Instituições Financeiras), que está acontecendo nesta semana (11-13) em São Paulo.

A Ripple fez presença para falar sobre a RippleNet, sua rede de pagamento global que “facilita o envio de pagamentos transfronteiriços para instituições financeiras e empresas de pagamento”.

Como uma fornecedora de soluções de pagamento, a Ripple explicou em uma publicação em seu blog os benefícios de se associar à RippleNet, incluindo:

-Acesso: “Ao se unir à rede mundial de instituições da RippleNet, organizações adquirem um único ponto de acesso para uma estrutura padronizada e descentralizada para obter consistência em todas as conexões globais.”

-Certeza: “O processamento de falha de passagem atômica da RippleNet garante maior segurança na entrega, e seu recurso de mensagens bidirecionais oferece visibilidade de transação de ponta a ponta sem precedentes para taxas, tempo de entrega e status.”

-Velocidade: “Com a RippleNet, bancos e fornecedores podem reduzir o período das transações de dias para meros segundos.”

-Economia: “Redes de pagamento existentes possuem alto processamento e liquidez, fornecendo custos que resultam em taxas tão altas quanto $25 ou $35 por transação. As normas padronizadas da RippleNet e a conectividade em toda a rede diminuem de forma significativa os custo de processamento.”

Em janeiro, a Ripple anunciou a aquisição de mais 13 clientes para a RippleNet, ultrapassando 200 em todo o mundo.

“A empresa está experimentando um rápido crescimento de clientes em todos os mercados, e seu lançamento no Brasil é uma resposta à alta demanda de clientes na América do Sul. Temos sorte de ter Luiz a bordo para expandir nossa presença na região e ajudar nossos clientes a enfrentar os desafios de pagamentos transfronteiriços.”, disse Eric van Miltenburg, Vice-Presidente Sênior de Operações Globais.

A Ripple afirma que há “mais de uma dúzia de instituições financeiras e empresas de transferência de dinheiro brasileiras na RippleNet”, incluindo o Santander Brasil (“um dos maiores bancos comerciais do Brasil com mais de nove milhões de clientes”), a BeeTech Global (que “oferece serviços de pagamento internacional para mais de 150.000 clientes ao redor do mundo e é um dos muitos provedores emergentes de serviços monetários que dependem de novas tecnologias como a da Ripple para fornecer pagamentos internacionais mais rápidos, confiáveis ​​e acessíveis”), e o Banco Rendimento (“pioneiro no espaço de pagamentos internacionais no Brasil”).

“Temos a satisfação de expandir nosso ecossistema na região e trazer mais instituições financeiras para a RippleNet para ajudar a fornecer excelência, experiências de pagamentos transfronteiriços eficientes para seus clientes. O Brasil é um líder em inovação fintech e posicionado para forjar um caminho a ser seguido pelo resto da América Latina. ”, disse Luiz Antonio Sacco.

A Ripple afirma que em 2019 está focada em “aumentar a base de clientes e equipe no Brasil, e ao longo da América do Sul, incluindo países como o Chile, Peru e Argentina.”

Ademais, a empresa está comprometida a utilizar a University Blockchain Research Initiative (UBRI), que foi lançada em junho de 2018, para auxiliar as “grandes universidades brasileiras, incluindo a Universidade de São Paulo e a Fundação Getúlio Vargas.”

FONTE: CRYPTOGLOBE

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli