Ruanda utiliza tecnologia Blockchain para rastrear mineração do tântalo

A parceria tornará a produção mais transparente

De acordo com um comunicado oficial, Ruanda fechou uma parceria com uma startup de blockchain do Reino Unido com o objetivo de rastrear a mineração do tântalo, metal que gera conflitos no país.

Segundo pesquisas, Ruanda é o maior produtor mundial de tântalo. O metal é utilizado em eletrônicos de consumo, como computadores e smartphones.

A parceria com a Circulor permitirá que o país utilize a tecnologia blockchain para tornar mais transparente a produção do metal.

De acordo com o comunicado, a integração da tecnologia ajudará as “companhias a cumprirem os esforços internacionais para erradicar fontes de financiamento para minérios de conflito”.

Leia mais:IOTA apoiará solução de autenticação de identidade digital

Segundo a Reuters, a Power Resources Group (PRG), empresa de mineração, conduziu o primeiro teste para rastrear o metal. O CEO da empresa, Ray Power, disse que o setor de rastreamento é criticado por mineradores desde 2015.

A plataforma blockchain da Circulor foi desenvolvida no HyperledgerFabric, um software de contabilidade digital de código aberto hospedado pela Linux Foundation.

O CEO da startup, Douglas Johnson-Poensgen destacou que a nova aplicação deve reduzir drasticamente os custos dos mineiros, que atualmente trabalham com uma quantidade desproporcional do custo de conformidade.

“Nossa plataforma blockchain irá capacitar os consumidores, para que possam entender de onde vem os materiais dos produtos que compram, e também irá dificultar a passagem de materiais sem origem ética pela cadeia de suprimentos.”, acrescentou.

WeBitcoin: Ruanda utiliza tecnologia Blockchain para rastrear mineração do tântalo

Leia mais: Stablecoins: existe vida após a Tether?

FONTE: COINTELEGRAPH