Santos firma parceria com cripto empresa para reformar seu estádio

Santos se junta ao Bolton Holding Group para revitalizar a Vila Belmiro

O presidente do Santos viajou para a China e Emirados Árabes recentemente, com o intuito de captar novos investidores para o clube. Conforme relatou o UOL no dia 23 de março, parece que viagem foi bem sucedida.

José Carlos Peres, presidente do Santos, firmou um acordo com o Bolton Holding Group, que oferta a cripto Bolton Coin, para reformar a Vila Belmiro e construir um novo centro de treinamento para as categorias de base do clube.

Peres comentou sobre a reforma do estádio:

“Será um novo estádio com uma nova cobertura. A Vila Belmiro é a Meca do futebol brasileiro e merece ser um estádio moderno.”

Desde que assumiu a presidência do clube, em 2018, Peres já manifesta sua intenção para reformar o estádio do Peixe. O projeto para revitalização da Vila Belmiro está avaliado em R$150 milhões.

Roberto Diomedi, CEO do Bolton Holding Group, compartilhou em suas redes sociais imagens com o presidente do Santos. No dia 21 de janeiro, ele compartilhou uma foto em seu Instagram com a legenda:

“Bolton Coin está construindo a Bolton Arena no Brasil para o Santos FC.”

Sobre a Bolton Coin

Pouco se sabe sobre a Bolton Coin. Ela não está listada em grandes plataformas que acompanham o desempenho das criptomoedas, ela entrou recentemente em ICO (1 de março), e sua equipe conta com os típicos nomes russos envolvidos em esquemas estranhos.

Igor Karavaev, membro da cripto esfera responsável por avaliar a validade de ICOs, comentou sobre o projeto:

O projeto parece estranho para mim. O white paper é mais como um livreto de publicidade: sem análise competitiva ou planejamento de negócios. Um grande número de soft e hard caps que não podem se relacionar à situação real do mercado. A equipe é boa, mas não tão boa, acredito – não há grandes influenciadores globais nos mercados financeiros.”

Desta forma, é interessante manter a atenção caso essa empresa firme uma parceria para emitir tokens do Santos, tendo em vista sua natureza opaca.

Criptomoedas no futebol

Recentemente, clubes brasileiros estão firmando parcerias para emitirem seus próprios tokens. Atlético Mineiro, Fortaleza e Corinthians anunciaram planos para disponibilizarem, respectivamente: Galocoin, Leãocoin e Timãocoin.

Os tokens estão baseados na plataforma Footcoin, e o objetivo destas iniciativas é uma aproximação maior com os torcedores, bem como captar novos investidores.