SEC das Filipinas posterga lançamento de regulamentação para ICO

Uma nova data ainda não foi estipulada

De acordo com a mídia local, a PSEC, Comissão de Valores Mobiliários e Câmbio das Filipinas, não foi capaz de concluir o regulamento oficial de ICO, que deveria ser lançado antes do final de 2018.

Segundo um artigo, o atraso se deve a uma solicitação de maior prazo para examinar as regras preliminares. Aparentemente o PSEC revisou novamente o regulamento, considerando a contribuição de acionistas distintos.

No rascunho do projeto a autoridade estabeleceu que os tokens emitidos durante uma ICO serão classificados como títulos, “portanto devem ser registrados na Comissão e as divulgações necessárias devem ser realizadas para a proteção do público investidor”.

O PSEC ainda destacou que a venda de tokens de segurança para menos de 20 pessoas, bancos, seguradoras, fundos de pensão e casas de investimento estão isentas de registro por um ano.

De acordo com Emil Aquino, presidente do PSEC, banir a o setor, como a China fez, não é uma opção pois a tecnologia “possui suas vantagens”.

Adotando esta mercado aos poucos, em 2018 o governo das Filipinas optou por permitir 10 empresas vinculadas a blockchain e criptomoedas a atuarem na Zona Econômica de Cagayan.

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli