SK Square se torna o segundo maior acionista da Korbit

SK Square mergulhou na criptomoeda e no espaço do metaverso ao comprar US$ 75,5 milhões em ações da Korbit.

A empresa de investimento – SK Square – supostamente investiu 90 bilhões de won (US $ 75,5 milhões) para adquirir uma participação de 35% na exchange Korbit. Ao fazer isso, ela se tornou a segunda maior acionista da plataforma de negociação sul-coreana desde que a holding da Nexon – NXC – possui 48%.

De acordo com uma cobertura local, a SK Square – uma organização de investimentos sul-coreana com foco em TIC (tecnologia da informação e comunicação) – aderiu ao movimento das criptomoedas porque “acredita que o valor dos ativos pode crescer apenas por ter ações da Korbit”.

A empresa destacou ainda que o volume de negociação de ativos digitais no país asiático nos primeiros nove meses de 2021 ultrapassou US $ 3 bilhões. Esse montante é 12,6% maior do que o volume de negócios das ações da Kospi (o equivalente coreano do S&P 500 dos EUA).

Com o investimento mais recente, a Korbit – uma das principais exchanges de criptomoedas da Coréia do Sul – aumentou as esperanças de aprimorar seus serviços e criar um ambiente mais seguro para aqueles que desejam negociar bitcoins e moedas alternativas.

A plataforma de negociação também pretende introduzir opções de metaverso, estabelecendo uma ponte entre Ifland – uma plataforma operada pela SK Telecom – e Korbit Town – um ecossistema onde os usuários podem lidar com ativos digitais play-to-gain.

Yoon Poong-young – diretor de investimentos da SK Square – afirmou que este não será o último esforço de cripto de sua empresa:

“O SK Square continuará a investir em áreas de TIC que levarão inovações futuras, como blockchain e metaverso, para se tornar uma empresa de investimento atraente.”

Por sua vez, o CEO da Korbit – Oh Se-jin – acredita que a mudança “irá maximizar o valor do cliente, melhorando a qualidade dos serviços” na exchange. Também conectaria os usuários com o espaço NFT “por meio da sinergia com o SK Square”.

Korbit sobreviveu ao expurgo.

Nos últimos meses, a Unidade de Inteligência Financeira (FIU) – o cão de guarda monetária da Coreia do Sul – instruiu as echanges de criptomoedas locais a cumprir as regras de combate à lavagem de dinheiro (AML), registrando-se junto ao regulador até 24 de setembro. Os locais de negociação também foram obrigados para obter um certificado de segurança para garantir a segurança de seus serviços.

De todas as exchanges operando na Coréia do Sul, apenas quatro – Korbit, Upbit, Bithumb e Coinone – completaram com sucesso todos os requisitos. Por outro lado, cerca de 40 plataformas suspenderam seus negócios por não cumprirem o prazo. 28 exchanges obtiveram certificados de segurança e continuarão operando sem fazer liquidações ganhas.

Fonte: CryptoPotato

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8