Solana pode ser hackeada, diz CEO da Kadena

A polêmica, lançada no Twitter, não passa de especulação – pelo menos por enquanto.

Stuart Popejoy, CEO da Kadena, que recentemente registrou alta de 500% em seu ativo digital, retwittou uma mensagem do programador Jack Sanford com relação à Solana, um de seus principais concorrentes em blockchain.

Segundo Popejoy, Solana trabalha com a linguagem de programação Rust, o que, segundo ele, não apenas complica a vida dos desenvolvedores na criação de soluções digitais, como também reduz a segurança do ecossistema;

“As linguagens de programação não são todas iguais, por isso, construir dApps em linguagens normais, como Rust, é uma má ideia. Pact tem verificação formal porque é uma sucessora espiritual do script do Bitcoin, não do Javascript”, disse Popejoy em seu Tweet:

Sanford disse que é apenas questão de tempo até que a segurança do projeto Solana seja colocada em prova:

A maior conclusão do painel de auditoria da Solana: seu código é muito mais difícil de escrever com segurança que no Ethereum. Solana não sofreu ataques ainda, mas a coisa vai ser feia se/quando o projeto ficar grande o suficiente para chamar atenção dos hackers.

Currículo de peso

Stuart Popejoy e Will Martino são os criadores do projeto Kadena, além de terem desenvolvido a blockchain da JP Morgan, empresa gestora de participações sociais que fez “sucesso” dentro do mercado descentralizado. Jamie Dimon, presidente da companhia, virou meme nas redes sociais por tecer críticas ácidas ao Bitcoin.

Kadena é um projeto ambicioso, que promete trazer escalabilidade, velocidade, taxas baixas de transação e muita segurança ao mercado DeFi.

Foto de Rafael Motta
Foto de Rafael Motta O autor:

Jornalista, trader e entusiasta de tecnologia desde a mais tenra juventude. Foi editor-chefe da revista internacional 21CRYPTOS e fundador da Escola do Bitcoin, primeira iniciativa educacional 100% ao vivo para o mercado descentralizado. Foi palestrante na BlockCrypto Conference, em 2018.