Sou fã da Libra, afirma Mike Novogratz

Apesar das críticas em torno do ativo, Novogratz diz simpatizar com a Libra

Desde o lançamento do seu white paper, a Libra é alvo de duras críticas, chagando a ser o tópico principal de audiências no Senado americano.

Toda a preocupação em torno da estrutura do ativo, que muitos afirmam não ser uma verdadeira criptomoeda, acabou atraindo atenção negativa para o setor, visto que muitos indivíduos tomaram consciência do mercado de moedas digitais por meio da Libra.

Nadando contra a maré, o CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, recentemente declarou que é um grande fã da moeda, e de sua co-criadora também.

É uma revolução dos jovens. Sou um fã da Libra e um fã da Morgan também.

O comentário de Mike, além de ir contra a opinião de quase todos os integrantes do mercado de cripto, chama atenção para o fato de que o responsável pela Libra pode não ter sido David Marcus, atual líder do projeto, mas sim Morgan Beller.

De acordo com um artigo, em fevereiro de 2018 Beller realizou um encontro informal com Howard Wu, investidor do Vale do Silício e tecnólogo das criptomoedas, para discutir as implicações, oportunidades e riscos de introduzir o blockchain para mais de 2 bilhões de pessoas.

Na época, Morgan havia acabado de entrar para a unidade de desenvolvimento corporativo do Facebook.

“Não foram os vice-presidentes em uma mesa discutindo a direção de um projeto. Foi muito casual, mas achei que era uma perspectiva empolgante. Isso acabou se transformando no que a Libra e Calibra se tornaram”, disse Wu.

Desde os primeiros anúncios da moeda, David Marcus se tornou o rosto do projeto, aparecendo em entrevistas, realizando publicações na internet e testemunhando no Senado. No entanto, Beller ainda é reconhecida como a responsável por trazer o Facebook para o mercado de criptomoedas.

Morgan realmente foi a primeira, pelo menos no meu entendimento”, afirmou Wu.

Após convencer a empresa, Beller passou a trabalhar em conjunto com Marcus para recrutar pessoas para o projeto, reunindo a equipe que hoje é responsável pela Libra e pela Calibra.

Apesar de todo o preparo, o ativo acabou gerando certa confusão nos reguladores, se tornando ainda um chamariz para problemas.

De acordo com Meltem Demirors, Estrategista-chefe (CSO) da CoinShares, a grande dificuldade encontrada pelos reguladores é entender o que é a Libra, e decidir o que devem fazer com ela, visto que as características do ativo o distanciam de outras criptomoedas.

Apresentando um posicionamento ainda mais drástico, o democrata Brad Sherman declarou durante uma sessão com o Comitê de Serviços Financeiros que a stablecoin será tão prejudicial para os Estados Unidos quanto o ataque às Torres Gêmeas.

Também apresentando seu posicionamento, Ben Mezrich, autor do livro Bitcoin Billionaires, pontuou que o Facebook não passa a confiança necessária para um projeto de tal porte, visto seu histórico com o compartilhamento de dados dos usuários.

Com lançamento previsto para o próximo ano, a Libra ainda tem muitos obstáculos a serem vencidos para promover sua aceitação pelos reguladores.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli