Starbucks irá utilizar o blockchain da Microsoft para rastrear produção de café

Maior rede de cafeterias do mundo recorre à tecnologia blockchain para monitorar cadeia de fornecimento

Desde janeiro de 2018 o Starbucks demonstrou interesse no uso da tecnologia blockchain, e em março do mesmo ano a empresa anunciou o início de um projeto piloto chamado “Bean to Cup” (do grão ao copo) juntamente com agricultores da Colômbia, Ruanda e Costa Rica para desenvolver um modo de rastrear a jornada do produto até o consumidor.

Agora o Starbucks anunciou durante a conferência Microsoft’s Build que irá utilizar o novo Blockchain Azure da Microsoft para rastrear a produção de café, entre outros projetos.

Anunciado recentemente, o novo blockchain viabiliza a criação de aplicativos em uma rede pré-configurada, atuando como uma plataforma BaaS (blockchain-as-a-service). A primeira plataforma a ser gerenciada pelo Azure é a Quorum, blockchain de código aberto baseada na rede Ethereum e apoiada pela JP Morgan Chase.

Além do rastreio da cadeia de fornecimento, as duas empresas irão trabalhar lado a lado para viabilizar pedidos preditivos de drive-thru por meio de um aplicativo e utilizar IoT (internet das coisas) para conectar e colher dados das máquinas, moedores e liquidificadores de todas as milhares de lojas dispostas ao redor do mundo.

Ao longo dos últimos meses surgiram diversas especulações sobre a aceitação de Bitcoin como forma de pagamento pelo Starbucks. Aparentemente, a empresa recentemente estabeleceu um acordo com a Bakkt para a adição de suporte viabilizando pagamentos com a moeda, mas a empresa em si não irá receber o ativo, visto que este supostamente será convertido para moeda fiat automaticamente.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli