Telegram retira recurso na corte dos EUA para o lançamento da TON

Muitos investidores aceitaram a oferta da empresa, mas alguns estão planejando uma ação judicial

Depois de encerrar seu projeto de blockchain (TON), o Telegram agora se retirou oficialmente da batalha judicial contra a Securities and Exchange Commission (SEC) pela suspensão da proibição dos tokens Gram.

Em um processo na sexta-feira, a gigante de mensagens criptografadas recorreu contra a decisão anterior que favorecia a SEC para bloquear a distribuição de Gram nos EUA e no exterior.

“As partes no caso acima mencionado entraram com uma estipulação de retirada deste apelo de acordo com a Regra Local 42.1”, dizia o último registro no Tribunal de Apelações do Segundo Circuito dos EUA.

Embora isso encerre o caso sem qualquer prejuízo, ele pode ser reaberto posteriormente.

Isso ocorreu semanas após a decisão da empresa de abandonar o desenvolvimento da blockchain TON, que Pavel Durov, fundador e CEO da empresa, tornou público no início deste mês.

TON do Telegram: a falência de um projeto ambicioso

O Telegram levantou US$ 1,7 bilhão em duas vendas privadas de seu token Gram em 2018 e garantiu aos investidores o lançamento da TON e a distribuição dos tokens em outubro de 2019.

Entretanto, semanas antes do prazo, a SEC proibiu o projeto de violar a lei de valores mobiliários dos EUA.

Embora o Telegram tenha adiado o lançamento até abril de 2020 com a garantia de um investimento adicional de US$ 80 milhões no projeto, a empresa teve que adiar o lançamento novamente por causa das incertezas.

No mês passado o Telegram ofereceu aos investidores uma opção de saída com 72% de seu investimento inicial ou emprestar o valor ao Telegram por um ano e receber 110% do investimento. Contudo, os investidores sediados nos Estados Unidos deveriam tomar a primeira opção.

No whitepaper original, o Telegram afirmou que, em caso de falha do lançamento da TON com o prazo inicial, a empresa reembolsará todo o valor, mas agora os investidores foram levados a uma posição estranha.

Embora muitos investidores não estejam satisfeitos com a decisão da empresa, nenhum litígio contra a empresa foi tornado público ainda.

Fonte: Finance Magnates

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.