Terra: Polícia sul-coreana investiga funcionário que supostamente roubou Bitcoin

Terra: Polícia sul-coreana investiga funcionário que supostamente roubou Bitcoin

Mesmo com nova blockchain, Terra segue sendo foco de investigações

Na esteira do decepcionante colapso total da Terra original, a Agência de Polícia Metropolitana de Seul está lançando um inquérito contra um funcionário dos laboratórios Terraform que supostamente desviou Bitcoin, os fundos corporativos da LUNA e da Terra, de acordo com um site de notícias coreano.

Ele relata que a polícia obteve informações no mês anterior de que uma pessoa que se acredita ser um funcionário da Terraform Labs era suspeita de desviar fundos corporativos, então eles solicitaram que os fundos fossem congelados por meio de uma exchange virtual e, em seguida, iniciaram uma investigação.

Após a desconexão da Terra UST em maio, o ecossistema Terra implodiu. A LUNA original perdeu totalmente todo o seu valor após uma queda dramática de preço, resultando em bilhões de dólares em danos. O CEO da Binance, Changpeng Zhao, revelou que a empresa perdeu cerca de US$ 1,6 bilhão em seu investimento na LUNA no topo.

LUNA 2.0 tem desempenho inferior

A nova blockchain Terra, que entrou em operação há mais de uma semana, já está aquém das expectativas. A Terra 2.0 foi lançada em 28 de maio como parte do plano “Terra revival” do cofundador da Terra, Do Kwon, que foi aprovado pela comunidade. Após seu desaparecimento, a blockchain Terra original foi abandonada e renomeada como Terra Classic.

Como temido por muitos, a LUNA 2.0 teve um começo difícil, perdendo quase 70% de seu valor nas primeiras 24 horas. O preço da moeda LUNA 2.0 estagnou desde então. De acordo com dados do CoinMarketCap, a LUNA estava sendo negociada a US$ 4,29 no momento da publicação, uma queda de 15,55% nas últimas 24 horas. Antes da stablecoin TerraUSD (UST) perder sua paridade do dólar em 6 de maio, a antiga LUNA estava mudando de mãos por aproximadamente US$ 86.

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.