Tesouro dos EUA e Federal Reserve estão “estudando” o lançamento de um dólar digital

O Tesouro dos EUA e o Federal Reserve, o banco central do país, estão pesquisando os benefícios de introduzir sua própria moeda digital, o dólar digital

Falando durante o webinar on-line do Atlantic Council, o vice-secretário do Tesouro dos EUA, Justin Muzinich, disse que seu departamento, junto com o Federal Reserve, está olhando para lançar uma moeda digital do banco central (CBDC) atrelada ao dólar no futuro.

Este anúncio segue um rastro dos esforços anteriores do Federal Reserve para lançar carteiras digitais em dólares designadas pelo banco central. A presidente do Federal Reserve Bank de Cleveland, Loretta Mester, revelou no mês passado que uma legislação está sendo criada para que cada americano tenha uma conta digital em dólares com os federais.

Não obstante, o Federal Reserve de Boston anunciou em agosto que está testando mais de 30 projetos de blockchain para preparar um dólar digital. Contudo, o processo de pesquisa e desenvolvimento para um CBDC deve levar anos para ser concluído – tendo começado em 2015 – disse o Fed de Boston.

Muzinich afirmou que a curva de aprendizado no lançamento de um dólar digital em um livro razão distribuído produziria “benefícios de eficiência e benefícios de custo”. Ele ainda se concentrou nos lentos esforços dos EUA na introdução de seu próprio dólar:

“E também acho, de forma mais ampla, que é importante para o governo abraçar a inovação e não se assustar com ela.”

Entretanto, ainda existem alguns fatores a serem considerados no lançamento de um CBDC, incluindo a regulamentação do CBDC para evitar atividades de lavagem de dinheiro, mantendo a privacidade digital dos usuários.

Sobre a regulamentação de um dólar digital, Muzinich afirma que os governos em todo o mundo – especialmente na Europa – devem trabalhar para regulamentar as criptomoedas globalmente. Isso decorre das diferentes funções das criptomoedas, longe dos pagamentos.

As questões de lavagem de dinheiro ocuparam um lugar central na adoção de criptomoedas. Ainda assim, outras questões como estabilidade financeira e base monetária das criptomoedas também devem ser colocadas em xeque. Para manter os consumidores e usuários do dólar digital seguros e protegidos, Muzinich afirmou que as leis existentes que regem as moedas fiduciárias deveriam ser estendidas às criptomoedas.

“O Tesouro deixou claro que a obrigação de cumprir as leis dos EUA é a mesma, independentemente de a transação ser denominada em moeda fiduciária tradicional ou moeda digital.

 

As leis existentes se aplicam aos ativos digitais em termos inequívocos.”

Ele explica que, mesmo que as criptomoedas cumpram as regras de KYC/AML /CFT, ainda há o perigo de partes estrangeiras perturbarem a base monetária, criando instabilidade financeira. Isso pode surgir se um emissor de stablecoin mudar seu índice de reserva de totalmente garantido para parcialmente garantido, ou alterar a composição dos ativos na reserva.

Fonte: BTC EG

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.