Tether lançará nova plataforma após ser hackeada

A busca por uma solução

A Tether, uma startup de Santa Monica que fornece um token vinculado ao dólar, disse que planeja lançar uma nova plataforma após ter sido hackeada em novembro.

Em um aviso em seu site, a Tether disponibilizou uma lista com algumas das ações tomadas para se recuperar do hack que dizem ter roubado $30 milhões de dólares em tokens, e também com o objetivo de atualizar seus usuários sobre como podem resgatar fundos que ainda estão armazenados na plataforma.

Como relatado anteriormente, após o ataque, a plataforma Omni Foundation – que desenvolveu o protocolo de software baseado em bitcoins no qual os tokens da Tether foram construídos – lançou uma nova versão do software Omni Core que imobilizou e “colocou na lista negra” os tokens roubados.

A Tether afirma:

“Desta forma, a Omni pode impedir que sejam usados em um nível de protocolo. Agimos com seriedade e isto garantiu que a Tether se proteja contra possíveis novos ataques ao ecossistema em um esforço proteger toda a comunidade.”

Leia mais: Bitcoin Cash tem aumento recorde suspeito na GDAX

“Funções limitadas”

De acordo com o update, desde a terça-feira, a Tether disponibilizou funções “limitadas” da carteira aos usuários, permitindo que comecem a retirar os fundos imobilizados, caso desejem.

Apesar de fornecerem poucos detalhes, a empresa também anunciou que estão desenvolvendo uma plataforma nova e que estarão interrompendo seus serviços de carteira e endereços velhos. No momento, novas inscrições para a sua plataforma não estão sendo aceitas.

A startup aconselha seus usuários a trocar seus tokens tether em exchanges terceirizadas, e acrescentou:

“Para evitar possíveis perdas de fundos, os usuários não devem tentar depositar fundos em sua carteira ou endereços de depósito antigos”.

A Tether também está trabalhando para atualizar seus termos e serviços com base nos comentários da comunidade, além disso, desde setembro, a empresa de auditoria Friedman LLP está trabalhando em uma auditoria do balancete total.

Por fim, a empresa reafirmou que seus saldos de ativos conforme listados em seu site são precisos, dizendo: “Qualquer insinuação oposta é desinformada e sem fundamento.”

Fonte: Coindesk.com

Foto de Andre Cardoso
Foto de Andre Cardoso O autor:

André , ariano, engenheiro, empreendedor, trader de criptos profissional, palestrante e professor. Adora números, gráficos e aprender coisas novas.

andre.cardoso.btc/