Tether: relatório aponta que apenas duas empresas dominam a moeda

Alerta de spoiler: Alameda Research e Cumberland estão na lista.

O portal de notícias Protos elaborou um relatório polêmico: as empresas Alameda Research e Cumberland teriam adquirido 70% de todo o Tether (USDT) em circulação no mercado. A stablecoin mais famosa do mercado está presente em todas as principais exchanges do mundo.

Segundo a equipe do portal, vários meses foram dedicados para investigar cada transação realizada por meio do USDT, de 2014 até 31 de outubro deste ano. De lá para cá, foi descoberto o seguinte cenário em chain swaps (processo de transferência de USDT entre protocolos):

  • 108 bilhões de USDT foram distribuídos ao redor do mundo;
  • Foram recebidos 32 bilhões em USDT, nesse mesmo período;
  • Grande parte dos fundos foram enviados diretamente a market makers (entidades capazes de lucrar com o spread de ativos) e provedores de liquidez.

protos 01
Fonte: Protos

Um detalhe interessante: nem sempre os dados informados durante a análise estarão em proporções iguais (1:1) com o suprimento de tokens em circulação.

Dentro deste cenário, Alameda Research, liderada pelo cripto-bilionário Sam Bankman-Fried, e Cumberland receberam pelo menos 60.3 bilhões de USDT dentro do período analisado. Isso equivale a 55% de todo o volume de saída da stablecoin desde o seu lançamento.

Screenshot 2021 11 10 at 17.51.14
Fonte: Protos

Grandes players

A Cumberland Global, subsidiária de trading de criptomoedas, é uma importante aliada da Binance como fonte de liquidez. Ela tem trabalhado com a maior exchange do mundo desde meados de 2019.

Já a Alameda Research é uma fintech de investimentos, fundada em 2017 com o objetivo de evitar problemas bancários, uma vez que seu foco era a realização de operações de arbitragem em corretoras japonesas.

Atualmente sediada em Hong Kong, a empresa de Bankman-Fried pretende se mudar para Nassau, outro conhecido paraíso fiscal.

Foto de Rafael Motta
Foto de Rafael Motta O autor:

Jornalista, trader e entusiasta de tecnologia desde a mais tenra juventude. Foi editor-chefe da revista internacional 21CRYPTOS e fundador da Escola do Bitcoin, primeira iniciativa educacional 100% ao vivo para o mercado descentralizado. Foi palestrante na BlockCrypto Conference, em 2018.