Tribunal do Reino Unido nega a Maduro acesso a US$ 1 bilhão em ouro da Venezuela

Inglaterra nega acesso de Maduro ao ouro da Venezuela

A tentativa de Nicolas Maduro de acessar o ouro de seu país armazenado no Banco da Inglaterra foi negada quando o Tribunal Superior do Reino Unido decidiu contra ele na quinta-feira, bloqueando o acesso de seu governo a US$ 1 bilhão em reservas de ouro. O ouro foi reivindicado por Maduro e seu rival, Juan Guaidó, que se declarou presidente interino da Venezuela no ano passado.

O governo de Maduro disse que o ouro ajudaria a Venezuela a lidar com a pandemia de coronavírus. No entanto, Guaido alega que Maduro usaria o ouro para fins corruptos, pedindo ao Banco da Inglaterra que não entregasse o ouro ao governo de Maduro. O Banco Central da Venezuela processou o Banco da Inglaterra para obter acesso ao ouro. Segundo seu site, o Banco Central da Grã-Bretanha possui cerca de 400.000 barras de ouro, no valor de mais de 200 bilhões de libras (249 bilhões de dólares).

Preso no meio de duas reivindicações rivais pelo ouro, o Banco da Inglaterra pediu ao Supremo Tribunal que decidisse sobre quem o governo do Reino Unido reconhece como o presidente venezuelano – Maduro ou Guaidó. O tribunal disse na quinta-feira que o Reino Unido “reconheceu inequivocamente o líder da oposição Juan Guaidó como presidente”, informou a BBC e citou o juiz Nigel Teare dizendo:

“O governo de Sua Majestade reconhece Guaidó na qualidade de presidente interino constitucional da Venezuela e, deve seguir, não reconhecendo Maduro como presidente interino constitucional da Venezuela.”

O juiz acrescentou que “não havia espaço para o reconhecimento de Guaidó como presidente pela lei e de Maduro como presidente de fato”.

Um advogado do banco central venezuelano argumentou que, embora o governo do Reino Unido não aprovasse o governo de Maduro, ele ainda o reconhecia de fato. O advogado Sarosh Zaiwalla comentou: “É muito raro um caso de importância jurídica internacional ser decidido apenas com base em questões legais, sem levar em conta os fatos no terreno”. O Banco Central da Venezuela twittou na quinta-feira:

“O Banco Central da Venezuela recorrerá imediatamente da decisão absurda e incomum de um tribunal inglês que busca privar o povo venezuelano do ouro tão urgentemente necessário para enfrentar a Covid-19.”

Fonte: Bitcoin.com

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.