Um ano para o Halving: O que poderá acontecer com o valor do Bitcoin?

Entenda o que é o evento e como ele pode afetar o valor do Bitcoin

No dia 20 de maio de 2020 o Bitcoin irá passar pelo seu terceiro halving, evento que irá diminuir pela metade o fornecimento do ativo por bloco minerado.

Em 2009, um ano após sua criação, os mineradores adquiriam o total de 50 Bitcoins por bloco, quantia que diminuiu para 25 em 2012, e em seguida para 12,5 em 2016 (o total minerado atualmente). Em maio de 2020, a quantia será reduzida novamente, atingindo 6,25 Bitcoins por bloco minerado. No momento da escrita, o mercado conta com um suprimento circulante de 17.713.537 BTC, quase 85% do montante total a ser minerado (21 milhões).

De acordo com Thomas Lee, CEO da Fundstrat e famoso analista, o evento pode significar que o bull market será proveitoso em 2019.

Lee aponta que o ativo “previsivelmente” sofre um grande rally no ano anterior ao halving, o que pode significar que a valorização do Bitcoin ainda tem um longo caminho pela frente.

No momento da escrita, o Bitcoin apresenta o valor de US$7.920, sendo negociado próximo a US$32.400 em algumas exchanges brasileiras.

A questão dos mineradores

Ao longo dos anos, minerar Bitcoin se tornou uma prática um tanto cara, visto que a demanda por poder computacional cresce com o passar do tempo.

O que antes podia ser feito com um computador comum (com margem de lucro), atualmente é realizado em locais preparados, grandes fazendas de mineração montadas em locais onde o custo de energia é favorável, com diversas máquinas e um sistema adequado de refrigeração.

Mesmo nestas situações, quando o Bitcoin passa por uma crise, a recompensa pela mineração não é suficiente para arcar com os custos de manter tais espaços, questão que pode ser agravada pelo halving.

Com a diminuição de ativos por bloco minerado, caso a moeda passe por outra crise, pode ser um tanto difícil para alguns mineradores se manterem ativos no mercado. Um caso similar ocorreu neste último bear market, que apesar de contar com a mesma recompensa, a queda no valor do Bitcoin tirou várias mineradoras de circulação.

Por outro lado, dados mostram que o número de mineradores cresceu de forma significativa logo após os dois últimos halvings. Aparentemente, muitos indivíduos foram atraídos pelo rally registrado pouco antes, o que reforça a fala de Thomas Lee.

Seguindo essa tendência, é possível que o mercado conte com ainda mais fazendas de mineração após maio de 2020.

A previsão de John McAfee

Anteriormente, o famoso programador John McAfee previu que o Bitcoin irá atingir o valor de US$1 milhão até o final de 2020. De acordo com ele, é matematicamente impossível que o ativo não cumpra sua previsão, que foi revelada pela primeira vez no dia 21 de fevereiro. McAfee chegou a afirmar que comeria suas “partes privadas” caso a meta não fosse alcançada.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli