Upbit mantem congelamento dos saques para usuários estrangeiros

O hack do Upbit foi pior que o relatado inicialmente?

Mais de 6300 traders chineses foram impedidos de retirar seus fundos mantidos no Upbit desde dezembro, quando os relatórios iniciais começaram a chegar. No mês anterior, em 27 de novembro, o Upbit foi roubado em 342.000 ETH.

Muitos investidores chineses assumiram que o Upbit congelou as retiradas enquanto o hack estava sendo investigado. À medida que novas informações surgem, contudo, esse pode não ser o caso. Agora, parece que os clientes coreanos conseguiram sacar fundos novamente, enquanto os clientes estrangeiros não conseguiram.

Investidores estrangeiros especularam que talvez o hack do Upbit fosse realmente muito pior do que o relatado.

Na verdade, o congelamento das contas pode ter mais a ver com a recente multa de US$ 70 milhões imposta à exchange Bithumb pela agência de cobrança de impostos da Coreia do Sul. As vítimas especularam que seus fundos poderiam ter sido usados ​​para pagar impostos para evitar uma “bomba tributária” ao estilo Bithumb.

Outro fator pode ser a recente sentença de prisão de um executivo do Upbit por fraude. Song, um executivo sênior do Upbit e uma gangue de cúmplices usaram identificações falsas para simular 122 bilhões de Wons coreanos em volume de negociação na exchange.

A situação por enquanto ainda é desconhecida, pois o Upbit não respondeu às perguntas sobre as circunstâncias dos fundos congelados.

O Upbit disse aos traders estrangeiros que eles estão implementando “AML/KYC (“anti-lavagem de dinheiro” e “conheça seu cliente”) mais forte” para conformidade com o GAFI (Grupo de Acção Financeira Internacional) e que os clientes que já concluíram o AML/KYC não podem mais sacar fundos em Wons coreanos.

Os correntistas estrangeiros podem ter que esperar por uma decisão oficial das autoridades fiscais da Coreia do Sul sobre se terão ou não acesso a seus fundos novamente, e isso pode levar muito tempo.

Tempo para montar uma defesa

Como os clientes coreanos do Upbit ainda podem usar a exchange sem as mesmas restrições que os correntistas estrangeiros, é possível que o Upbit esteja sendo forçado a cumprir os novos encargos regulatórios, como declararam.

Os correntistas estrangeiros formaram vários grupos para tentar exigir coletivamente seus fundos de volta ao Upbit, embora seja difícil, pois estão dispersos e estão tendo problemas para organizar uma resposta coerente.

As vítimas afirmam que imediatamente após o hack foram solicitadas a reenviar todas as informações de KYC, que muitas já haviam enviado em 2017. Os documentos exigidos eram ID, comprovante de residência, “Alien fact of landing certificate” e “Alien landing certificate”.

upbit

Como é comum em muitos golpes de congelamento de contas com AML/KYC de exchanges insolventes, eles exigiram os documentos uma segunda vez sob a desculpa da “segurança do cliente”. O que os clientes ficaram se perguntando logo em seguida era: mas que segurança?

Fonte: Bitcoinist

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.