Uruguai lança a primeira rede blockchain do mundo para rastrear cannabis medicinal

Uma empresa de cannabis medicinal lançará um aplicativo baseado em blockchain para dar aos compradores uma visão aprofundada da origem do produto

A blockchain está revolucionando a forma como fazemos negócios. Há um requisito intensificado de transparência e confiança nas cadeias de suprimentos atuais. Para atender a essas necessidades de transparência e permitir rastreabilidade completa, uma empresa no Uruguai decidiu lançar o primeiro aplicativo baseado em blockchain do mundo para permitir o rastreamento de cannabis medicinal.

A Uruguay Can é uma produtora líder de cannabis que trabalha em projetos de integração agroindustrial para cannabis medicinal e recreativa. A nova plataforma da empresa é construída sobre a Ernityity, um protocolo blockchain descentralizado e escalável que deve entrar em operação nos próximos meses de junho e julho, bem a tempo da temporada de plantio.

A plataforma tem como objetivo documentar todas as fases do processo de cultivo, desde o surgimento até a embalagem da cannabis. Com uma combinação da tecnologia da IoT (Internet das Coisas) e blockchain, cada parte dessas informações será rastreável e imutável. Isso não apenas aumentará os padrões de segurança no processo de produção, mas também aumentará a credibilidade da qualidade do produto final e o tornará mais valioso para exportação.

O Uruguai foi o primeiro país a legalizar o cultivo, a venda e o consumo de cannabis em dezembro de 2013.

O CEO da Ernityity Americas, Pablo Coirolo, afirmou que “a capacidade de rastrear a fonte e a maneira como a cannabis é produzida é benéfica para a indústria de cannabis e farmacêutica, bem como para seus consumidores e usuários finais, que devem se sentir mais seguros sobre o produto que eles estão consumindo. ”

Ele acrescentou que o mecanismo melhorará o processo de produção de cannabis e garantirá o cumprimento das normas de segurança do consumidor.

O CEO da Uruguay Can, Eduardo Blasina, vê essa parceria como um marco significativo para a indústria da cannabis. “Temos orgulho de ser a primeira empresa no Uruguai que pode garantir a qualidade de nossos produtos de forma transparente e verificável”, disse Blasina. Ele enfatizou que a plataforma permitirá que os consumidores façam escolhas informadas que permitam a expansão do portfólio de produtos.

Esta não é a primeira vez que a tecnologia blockchain foi usada para melhorar a rastreabilidade e aumentar a transparência nas indústrias orientadas para o consumidor. Recentemente, a IBM anunciou o lançamento de um aplicativo chamado “Thank my farmer” que permite aos usuários rastrear seus grãos de café.

Em um esforço para incentivar os consumidores a fazer escolhas informadas e aumentar a credibilidade, o aplicativo baseado em blockchain permite que os usuários rastreiem a jornada de seus grãos de café através de um mapa interativo. À medida que mais e mais empresas percebem os benefícios da blockchain, parece que finalmente podemos dizer que blockchain não é sinônimo de criptomoeda.

Fonte: Coin Journal

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.