Vai investir? Entenda a importância de saber seu perfil de risco

Investir às cegas pode não ser uma boa ideia

Antes de mais nada é preciso deixar claro que não há um perfil melhor ou pior, mas sim aquele que se adéqua melhor à sua forma de pensar e estilo de vida. As pessoas, sendo diferentes umas das outras, geram uma sociedade bastante heterogênea, o que permite uma grande variedade de escolhas em diversos campos, como produtos ou serviços, por exemplo.

Você consegue se imaginar indo ao Shopping e lá encontrar uma única cor de camisa para comprar em todas as lojas? Ou só ter a opção de tomar sorvete de morango pelo resto da vida? Certamente não. Felizmente quando falamos de investimentos não é diferente. Eles são muitos, para todos os gostos e todos os bolsos.

Contudo, existe sempre pelo menos um investimento adequado para cada pessoa. Como sabemos que investimento é esse? Isso varia de pessoa para pessoa, mas o primeiro passo para descobrir é saber qual seu perfil de risco. Lembrando que o perfil de risco não é o único fator que deve ser levado em conta quando for investir, mas ajuda na tomada de decisão.

Descobrindo seu perfil de risco

Com uma rápida pesquisa na internet é possível encontrar diversos sites que realizam testes. Deixaremos aqui a sugestão do teste do Portal Prev que você pode fazer clicando nesse link.

Os três perfis de risco tradicionais para investimentos são: conservador, moderado e agressivo (ou arrojado). Os três diferenciam-se entre si principalmente pela prioridade que o investidor em potencial dá a certas especificações. Idade, tolerância a risco e prazo para a recuperação do investimento são fatores fundamentais na formação do perfil. A imagem abaixo mostra um resumo dos três.

Respeitar seus limites é fundamental quando falamos de investimentos. Ter um portfólio de investimentos variado é importante, sendo necessário atenção em manter as proporções adequadas para cada perfil.

Por exemplo, não é recomendado que uma pessoa com perfil conservador invista mais do que 10% do seu capital em renda variável. Para esse perfil, investir em renda fixa através de títulos públicos, por exemplo, é melhor que se arriscar no mercado de ações ou criptomoedas, onde o risco é muito maior (e o ganho potencial também).

Já uma pessoa com perfil agressivo estaria desperdiçando a possibilidade de alcançar um lucro potencial elevado ao ficar preso somente em renda fixa. Varia de pessoa para pessoa, mas para esse perfil é recomendado que algo em torno de 50% do capital seja investido em renda variável. Nesse perfil fica especialmente claro a importância de diversificar os investimentos, buscando lucro em várias frentes diferentes.

Lembre-se sempre de dosar cada decisão. Para cada pessoa há um perfil de risco. Para cada perfil de risco há diferentes formas de se investir. Então estude seus investimentos, fazendo de forma consciente e inteligente. No fim certamente terá valido a pena.

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.