Valores roubados da UPbit estão sendo usados pelo hacker

A exchange de criptomoedas UPbit descobriu que estão utilizando as criptomoedas roubadas e realizando pequenas transações para inúmeras outras exchanges.

Em novembro de 2019, a exchange de criptomoeda sul-coreana UPbit foi hackeada. Na época, mais de US$50 milhões da segunda maior criptomoeda, Ethereum, foram retiradas da exchange para uma conta anônima, o que levantou preocupações. 

Embora os funcionários da UPbit tenham reagido rapidamente e interrompido todas as outras transações, eles confirmaram um pouco mais tarde o ataque hacker. O CEO da empresa também disse que recuperaria todos os fundos perdidos dos ativos corporativos da UPbit.

Em um novo relatório mostra que 20.520 ETH do valor total roubado já foram usados. Ou seja, tem um valor de UR$ 3,2 milhões, o que representa 6,4% de todos os fundos roubados. 

O endereço anônimo que recebeu todas as moedas roubadas, quando o ataque hacker foi iniciado, foi associado a inúmeras pequenas transações para outras exchanges de criptomoedas. Algumas dessas exchanges incluem Binance, Bitfinex, Bitrue, Huobi, Hitbtc e muito mais.

A Uppsala Security revelou as informações e afirma que essas transações têm o único objetivo de lavagem de dinheiro. O presidente da empresa, Patrick Kim, parece acreditar que essa atividade criminosa em particular continuará. 

“Acreditamos que os hackers continuam lavando dinheiro por meio das exchanges sem nenhuma sanção em seu caminho.”

A exchange coreana parece estar tomando medidas adicionais para melhorar sua segurança e garantir que atividades semelhantes não ocorram novamente. A UPbit anunciou recentemente que atualizou seu sistema de segurança de carteira Ethereum e tornou obsoletos os endereços antigos. 

A empresa também abriu depósitos e saques para o Ethereum e outras criptomoedas. Além disso, os clientes devem excluir completamente o endereço ETH anterior de suas carteiras, pois isso pode causar perdas futuras. 

“Um novo sistema de carteira foi adotado para depósito e retirada de criptomoedas. […] A recuperação do ETH enviada para o endereço anterior a partir de agora pode ser um processo longo e caro. ”

 

Imagem Macrovector por Freepik.

Fonte: Cryptopotato

Foto de Mirian Romão
Foto de Mirian Romão O autor:

Graduada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e Pós-Graduada em Comunicação em Redes Sociais.

mirian_romao