Venezuela: Bitcoin tem aumento de 48% no volume de negociações

Dados recentes mostraram que o volume de negociação do Bitcoin atingiu um recorde sem precedentes na Venezuela

Desde o terceiro trimestre de 2018, o número de bolívares venezuelanos negociados com o Bitcoin continua a bater recordes quase semanalmente. Isso ocorre porque muitos venezuelanos agora estão se voltando para os mercados de criptomoedas para proteger sua riqueza, já que a hiperinflação do país continua enfraquecendo a economia.

De acordo com os dados divulgados em 2 de setembro pelo serviço de monitoramento CoinDance, os venezuelanos negociaram 114 bilhões de bolívares soberanos (VES) somente na Localbitcoins durante a semana que terminou em 31 de agosto.

No gráfico abaixo, cortesia da CoinDance, é evidente que houve um aumento constante no volume semanal de negociações da LocalBitcoins desde 2018. Curiosamente, esse número recente superou o recorde anterior estabelecido uma semana antes em 77 bilhões.

Venezuela Bitcoin trade volume

Contudo, esse aumento no volume nas negociações do Bitcoin na Venezuela foi significativamente pequeno, pois passou de 465 BTC para 533 BTC. Isso é uma indicação de que a economia e a moeda do país estão enfraquecendo rapidamente.

Como resultado, o governo venezuelano considerou necessário colocar embargos em moeda estrangeira que afetam indiretamente as atividades de negociação de criptomoedas.

Autoridades venezuelanas divulgam Petro sancionado

Segundo os especialistas em finanças e economia, as recentes elevações semanais no comércio de VES sugerem que o valor da moeda venezuelana está diminuindo em relação a todas as outras moedas mundiais. A taxa de inflação supostamente caiu em julho, depois que o governo introduziu controles financeiros. Em abril, o FMI havia projetado que a taxa de inflação da Venezuela chegaria a 10 milhões por cento, mas agora reduziu a previsão para cerca de 265.000%.

Entretanto, o governo continuou tentando empurrar sua controversa moeda nacional, Petro, uma moeda digital emitida pelo estado. Um sistema de remessas para esta moeda digital foi apresentado na semana passada. No momento, suas perspectivas de uso permanecem incertas depois que o token encontrou sanções severas.

Um acordo para permitir que Traki, uma das maiores redes de lojas de departamento da Venezuela aceitassem pagamentos com criptomoedas foi concluído na semana passada.

*Imagem de: pedrucho por Pixabay

Fonte: Atoz Markets

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.