Você sabe como funcionam os “Futuros de Bitcoin”?

Embora muitos não entendam o funcionamento, anúncios de futuros de Bitcoin costumam agitar o universo cripto

Bakkt, CME, CBOE, não importa exatamente o nome, mas sempre que uma grande corretora fala em listar futuros de Bitcoin a comunidade cripto rapidamente se anima e o clima de euforia fica evidente.Foi assim em 2017, com a primeira listagem de fututos de Bitcoin na história, com a CME,  e foi assim também mais recentemente, com a Bakkt.

Mas você sabe por que as pessoas ficam tão empolgadas com esses anúncios e entende como funcionam os contratos futuros? Se a sua reposta for “não”, continue lendo esse texto e dentro de poucos minutos você saberá um pouco de tudo o que é necessário para entender os futuros de Bitcoin.

O que são futuros de Bitcoin

Nada melhor do que começar… do começo. Quando falamos em “futuros”, falamos de contratos com vencimentos, obviamente no futuro, com data e preço de liquidação. O preço é determinado pelo valor atual do ativo e pelo que está previsto no momento da liquidação.

O ativo comprado ou vendido em um contrato futuro pode variar, de modo que quase qualquer ativo pode ser negociada em um contrato futuro, e isso inclui o Bitcoin.

Além disso, o contrato também inclui a exchange na qual o contrato está sendo vendido ou comprado. As duas partes que compõem o contrato são divididas, com uma representando um “long” enquanto a outra representa um “short”. Quando a data de vencimento é atingida, a liquidação do contrato é feita em moeda fiduciária ou, em casos mais recentes, criptomoedas.

Há um interessante artigo da Crypyimi que descreve esse fato de maneira detalhada. Caso tenha interesse você pode ler clicando nesse link (em inglês).

A negociação desses ativos são feitas em “mercados futuros”, além de que vale ressaltar ainda que a negociação de futuros é mais interessante com ativos voláteis, que tenham bastante variação de preço.

O básico inicial

O processo em si varia dependendo da exchange, mas de modo geral sempre será necessário que haja a abertura de uma conta, seguido de um depósito. Ganhos/perdas serão percebidos com a venda do contrato ou a liquidação do mesmo.

Os contratos são estabelecidos, por padrão, em moeda fiduciária, mas no caso dos futuros de Bitcoin esse valor pode ser fornecido em BTC, e é baseado no pai das criptos que seguiremos a explicação a partir daqui.

A adoção de um contrato de “long” implica que os ganhos serão dados com base na subida do Bitcoin, enquanto um “short” determina que os ganhos serão dados na queda do BTC.

Alavancagem e data de vencimento

O tamanho da banca investida e por consequência os ganhos/perdas pode ser influenciado por uma alavancagem, que nada mais é do que uma ferramente de ampliação de saldo.

Vamos supor que você tem R$ 10.000 e quer investir em futuros de Bitcoin, apostando em um long. Caso queira ganhos maiores do que sua banca inicial permitiria por padrão, você pode “alavancar” seu capital, em 10x por exemplo (em diversas corretoras é possível alavancar em mais de 100x), fazendo assim com que seu capital investido seja de “R$ 100.000”.

Isso significa que seus ganhos são multiplicados pela sua alavancagem. Entretanto, o mesmo vale para as perdas, causando em muitos trades iniciantes uma liquidação precoce e consequente quebra de banca.

Sobre da data de vencimento, a Cryptimi explica bem o funcionamento a seguir:

“A data de vencimento é simplesmente a data em que o contrato futuro entrará em acordo e deve ser liquidado. Durante a existência de um contrato, ele pode ser negociado várias vezes, mas, quando a data de vencimento chegar, a pessoa que possui o contrato deverá incorrer nos custos. As datas de vencimento podem, ocasionalmente, ser prorrogadas, e alguns contratos futuros de Bitcoin são perpétuos, o que significa que eles não têm uma data de vencimento.”

Taxas

Taxas de negociação, extensão, pernoite, deposito e saque são as mais comuns, mas podem existir outras. Antes de escolher a sua corretora sempre tenha muita atenção com as taxas, pois elas podem facilmente derreter o seu capital e transformar seus ganhos em perdas.

A taxa de negociação é bastante simples e normalmente é cobrada em qualquer operação realizada, como comprar ou vender.

Novamente recorremos à Criptimi, dessa vez para explicar de maneira bastante suscinta as taxas de extensão:

“As taxas de extensão referem-se a quaisquer custos necessários para estender a data de vencimento de um contrato futuro além da data original. Você pode decidir que vale a pena estender o contrato e pagar as taxas associadas se tiver motivos para acreditar que o valor da criptomoeda mudará em breve, de maneira a fornecer um retorno lucrativo.”

Taxas de pernoite dizem respeito à manutenção de uma posição em determinados horários do dia. Taxas de depósito e saques são conhecidos do público e variam de funcionamento dependendo da exchange e da forma escolhida para a operação.

Aqui fica um adendo que é relacionado à alavancagem. Toda operação de alavancagem é baseada em um “empréstimo” dentro da plataforma, o que significa que há também nessa modalidade o pagamento de taxas, que no caso são os juros por usar o capital emprestado para alavancar a sua banca.

*Imagem de: Pete Linforth por Pixabay

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.