Wall Street Journal: Mais de 15% das ICOs apresentam riscos aos investidores

Os projetos apresentam diversos tipos de fraude

De acordo com o Wall Street Journal, mais de 15% dos projetos de captação de fundos de criptomoedas por ICOs apresentam sérios riscos aos investidores.

Analisando mais de 3 mil ICOs lançadas em 2017 e 2018, a pesquisa apontou que em torno de 510 provavelmente cometeram plágio, prometeram retornos surreais ou até mesmo deturparam a identidade dos fundadores.

Todos os projetos analisados possuíam White Papers listados no ICOBench.com, ICORating.com e Tokendata.io. Para identificar ocorrências como plágio, foram comparadas sentenças de todos os relatórios, nos quais foram identificadas mais de 10 mil duplicações.

Das mais de 510 identificadas, em torno de 30 estão sob escrutínio dos reguladores, e mais de 250 plataformas online já não estão disponíveis.

Tendo em vista outros relatórios, os resultados apresentados pela pesquisa não surpreendem. Diversas empresas se aproveitaram do novo modelo de financiamento para lançar projetos menos confiáveis e outros até mesmo fraudulentos.

Recentemente a SEC vem realizando cada vez mais repressão às ICOs, e em maio, autoridades canadenses lançaram a operação “Crypto Sweep” após presenciar uma fraude generalizada.

FONTE: CCN