Xena Exchange já negocia o primeiro derivativo do GRAM, o token do Telegram

Xena Exchange

A plataforma negociação de ativos digitais, Xena Exchange, lançou o primeiro contrato de derivativo alavancado com liquidação em cripto do token GRAM na semana passada. Este é um passo significativo para a liquidez do GRAM, uma vez que os investidores do projeto Telegram (TON) poderão negociar os contratos de derivativos antes que os tokens GRAM sejam realmente emitidos.

O projeto blockchain do Telegram foi uma das mais sensacionais ICOs de 2018, arrecadando US$ 1,7 bilhão de investidores privados e deixando aqueles que perderam a venda de tokens esperando que o GRAM entrasse nas exchanges. O lançamento desses contratos de derivativos do GRAM significa que aqueles que perderam a chance de investir, agora poderão entrar e ganhar com a possível valorização. Ao mesmo tempo, os titulares atuais do GRAM poderão proteger seus investimentos contra uma possível desvalorização. A Xena Exchange também foi uma das primeiras empresas que adotaram o Telegram Passport, conforme mencionado no blog oficial do Telegram.

Esse é um passo extremamente importante para o mercado de criptomoedas, considerando a importância do token GRAM e seu potencial como um ativo para negociação de contratos de derivativos. Esta é a primeira vez no mercado de criptomoedas, onde os contratos foram usados ​​não apenas para especular sobre o preço, mas também para se proteger dos riscos”. Anton Kravchenko, CEO da Xena Exchange

Em sua matéria no Medium, Anton Kravchenko disse que o contrato do GRAM provavelmente vai recuperar positivamente o preço do token GRAM. Ele supõe que o preço do contrato irá valorizar devido a entrada de novos compradores, enquanto os vendedores, que são os atuais titulares do GRAM, provavelmente não conseguirão posições vendidas fora do mercado tradicional. De acordo com o prognóstico da Xena Exchange, o volume de negociação do contrato GRAM alcançará US$ 3,5 bilhões nos primeiros três meses.

Contratos de Derivativos

O lançamento do contrato de derivativos GRAM com liquidação em criptomoeda vem logo após a Xena Exchange ter lançado sua nova engine de negociação de derivativos, que se juntou a sua engine principal, em 18 de fevereiro. O primeiro contrato de derivativo com liquidação em cripto adicionado na exchange foi de Bitcoin para USD. Basicamente, a oportunidade de investir em criptomoedas por meio de contratos provavelmente vai atrair investidores tradicionais e institucionais, gerando fluxo de caixa no mercado de criptomoedas, aumentando o volume de negócios e reduzindo a volatilidade. Além disso, muitos traders buscam se expor aos movimentos de preços de um ativo sem possuir fisicamente esse ativo e ter que armazená-lo e transferi-lo.

A Xena Exchange emite contratos de derivativos de nível institucional chamados Xena Listed Perpetuals, com foco projetado nas características do mercado de criptomoedas. Embora permitam uma alta alavancagem (até 100x), eles utilizam mecanismos integrados para proteger os traders de oscilações bruscas de preços e liquidações desnecessárias. Atualmente, os Perpetuals são liquidados em BTC e outras criptomoedas, e apenas as contas nomeadas em Bitcoins são suportadas. Em breve, será possível negociar no margin e fornecer garantia em moeda fiat também, eliminando o risco cambial do Bitcoin a zero. Além disso, os Perpetuals não expiram, o que lhes dá uma vantagem sobre os futuros, e adotam o preço à vista atual do índice ou ativo subjacente.

No mercado tradicional, o comércio de derivativos é 10 vezes maior do que o volume dos ativos subjacentes. Derivativos como índices futuros e negociáveis são úteis para hedge, bem como para alavancar lucros comerciais. Os índices simplificam o investimento e reduzem os riscos para os investidores devido à diversificação. Assim, nós realmente enfatizamos o desenvolvimento deste aspecto na Xena Exchange, com os contratos de Bitcoin e GRAM como o primeiro passo”. Anton Kravchenko, CEO da Xena Exchange.

A Xena Exchange foi fundada por ex-funcionários de conhecidos bancos de investimento e empresas de tecnologia, como J.P. Morgan, Deutsche Bank, UBS, Bolsa de Valores Russa, Kaspersky Labs, entre outros. A equipe possui experiência no setor, incluindo um total combinado de 45 anos de FICC, capital e negociação de derivativos; 25 anos de gestão de risco; 110 anos de desenvolvimento de software; e 35 anos de segurança institucional relacionada a finanças em DevOps e criptografia.

Foto de Andre Cardoso
Foto de Andre Cardoso O autor:

André , ariano, engenheiro, empreendedor, trader de criptos profissional, palestrante e professor. Adora números, gráficos e aprender coisas novas.

andre.cardoso.btc/