Centauro compra ação da Nike no Brasil

Centauro vai ser a distribuidora exclusiva da Nike no Brasil

O grupo SBF, controlador da Centauro, comprou a operação da Nike no Brasil, segundo reportagem da Exame, a varejista irá ser a distribuidora exclusiva da marca. 

A compra foi anunciada nesta quinta-feira (06), por R$ 900 milhões, a compra da subsidiária brasileira da Nike, inclui o estoque e as lojas, mas não os direitos de propriedade intelectual. 

O acordo está ainda sujeito à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômico (Cade) e as condições de fechamento dos ativos a serem adquiridos. 

O grupo SBF será uma holding, com unidades de negócios separados da Centauro e a Nick do Brasil. 

Em comunicado oficial o presidente da Centauro, Pedro Zemel, afirmou que estão entusiasmados com a oportunidade e de poder servir ainda mais a comunidade esportiva. 

“Nos últimos anos, fizemos uma série de investimentos em diversas frentes e, principalmente, em tecnologia e multicanalidade, o que nos possibilitou avançar expressivamente no nosso setor e nos transformar em uma plataforma do esporte. Estamos muito entusiasmados com a oportunidade de servir ainda mais a comunidade esportiva por meio de uma marca tão poderosa. Seguimos comprometidos com a missão de aprimorar o ecossistema do esporte no nosso país através de diferentes caminhos e modelos de negócios”, declarou Zemel.

Segundo especialistas em varejo, a compra é vista como parte de uma estratégia, a Exame ressalta que “a Centauro será fornecedora de todo mundo que quiser comprar Nike, que é a marca predileta dos brasileiros”.  

A Nike, vendendo seus produtos por meio de parceiros, não calculava detalhadamente os dados de quem comprou seus produtos, nem de como ou onde. Entretanto, com a Centauro distribuindo os produtos da Nike, a empresa poderá melhorar o desenvolvimento e o lançamento de acordo com os desejos dos consumidores. 

O Grupo SBF está crescendo e sendo elogiado pela estratégia multicanal, integrando loja física e comércio eletrônico. Fazendo com que os investidores continuem apostando no grupo, cujas ações avançaram mais de 250% desde que abriu capital na B3, em abril. 

Imagem Kaboompics por Pixabay.

Foto de Mirian Romão
Foto de Mirian Romão O autor:

Graduada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e Pós-Graduada em Comunicação em Redes Sociais.

mirian_romao