Por que os investidores imobiliários estão obcecados com terras virtuais?

Metaverso

Imóveis no Metaverso não são baratos
Milhões de dólares despejados em terras virtuais

Investidores chegam a oferecerem milhões de dólares por uma propriedade no mundo do Metaverso

O “universo virtual”, alimentado pelo Bitcoin, é inquestionavelmente o atrativo mais moderno para investidores que tentam adquirir imóveis do Memetaverso, conforme publicado por Bitcoinist

Os mundos virtuais são concebidos como locais onde qualquer pessoa pode visitar e socializar com seus amigos por meio de um monitor ou fone de ouvido de realidade virtual.

Embora o conceito de terras virtuais possa ser novo para muitos, aqueles familiarizados com jogos como The Sims, Farmville, Clash of Clans e Second Life não o surpreendem.

As terras virtuais são terrenos verdadeiramente digitais que existem em uma área online tridimensional, uma área na qual os usuários podem fazer login e experimentar um mundo imersivo por meio de seus avatares online usando um monitor ou fone de ouvido de realidade virtual.

Indivíduos e organizações maiores recentemente ofereceram milhões de dólares por uma propriedade, US$ 2,4 milhões para ser exato.

Milhões de dólares são investidos em territórios virtuais por investidores que acreditam que o futuro é digital.

Essas empresas antecipam que milhões de pessoas irão migrar para propriedades virtuais e investir em terrenos virtuais para venda com a expectativa de um potencial retorno sobre o investimento.

Essa estratégia é bastante semelhante aos investimentos imobiliários no mundo real, em que os investidores adquirem terrenos em áreas emergentes com a intenção de revendê-los posteriormente com lucro.

Imóveis no Metaverso não são baratos

O setor imobiliário no mundo virtual é um negócio caro, assim como no mundo real, onde os preços são determinados pela localização, população, relação demanda-oferta e outros fatores.

Quando a demanda por um lote no metaverso em uma determinada área aumenta, os preços sobem automaticamente.

De acordo com uma pesquisa publicada pela Grayscale, gestora de criptoativos, os estoques de ativos digitais estão a caminho de ultrapassar US$ 1 trilhão.

Os investidores desejam acumular terras virtuais da mesma forma que fazem ações e imóveis tradicionais.

Axie Infinity (AXS), The Sandbox (SAND), Decentraland (MANA) e Enjin (ENJ) são apenas algumas das principais iniciativas do metaverso que atraíram o setor imobiliário.

Milhões de dólares despejados em terras virtuais

O terreno virtual tem uma proposta de valor comparável ao imobiliário. As propriedades de alto valor estão frequentemente localizadas perto de empresas e atividades, que atraem inquilinos.

O Metaverse Group, uma corporação imobiliária baseada em NFT, comprometeu US$ 2,43 milhões em novembro de 2021 para entrar no mercado de moda digital.

A Microsoft investiu US$ 68,7 bilhões na Activision Blizzard no início deste ano, uma das maiores empresas de jogos do mundo, como parte de um esforço para seu programa imobiliário metaverso.

A Apple Inc também está se envolvendo, com o CEO Tim Cook dizendo que a empresa de trilhões de dólares vê “oportunidades significativas neste mercado e está investindo de acordo”.

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno. Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_