O Lobo de Wall Street: “Investidores terão lucro ‘quase certo’ holdando Bitcoin por 3 anos”

O Lobo de Wall Street: Investidores terão lucro 'quase certo' holdando Bitcoin por 3 anos
“O Lobo de Wall Street”. Imagem: Freesider

Jordan Belfort ficaria “chocado” se manter o BTC por 3-5 anos não fosse uma estratégia de investimento lucrativa.

A popular figura pública Jordan Belfort (mais conhecido como “O Lobo de Wall Street”) aconselhou os investidores a olhar para o Bitcoin como um investimento de longo prazo. Na opinião dele, quem detiver o ativo por mais de 36 meses provavelmente terá algum lucro. As informações são do site CryptoPotato.

Orientação cripto de Belfort

Jordan Belfort – o infame corretor de ações cuja história inspirou o filme de Martin Scorsese “O Lobo de Wall Street” – nem sempre foi gentil com a principal criptomoeda. Em 2018, ele opinou que o Bitcoin é baseado na Teoria dos Grandes Tolos, e os investidores deveriam sair de seu ecossistema antes de perder todo o seu dinheiro.

Em meio à alta na primavera de 2021, porém, Belfort mudou totalmente sua postura e previu que o ativo poderia chegar a US$ 100.000 até o final do ano.

O antigo investidor dobrou seu apoio durante sua entrevista mais recente para o Yahoo Finance. Ele elogiou sua oferta limitada de 21 milhões de moedas, alegando que, à medida que a inflação continua subindo, o Bitcoin “começará a ser negociado mais como uma reserva de valor e menos como uma ação”.

“O Lobo de Wall Street” também acha que o principal ativo digital pode ser uma ferramenta de investimento apropriada, desde que as pessoas tenham “mãos de diamante” e não o vendam por um período de 3 a 5 anos (mesmo que as flutuações de preços ocorram iminentemente) :

“Se você pegar um horizonte de três ou talvez cinco anos, eu ficaria chocado se você não ganhasse dinheiro porque os fundamentos subjacentes do Bitcoin são realmente fortes.”

Posteriormente, o americano opinou que o Bitcoin ainda está em seus primeiros dias, e é por isso que é normal se correlacionar com a NASDAQ, as ações de tecnologia e não negociar como hedge contra a inflação (semelhante ao ouro).

“Não há propriedade institucional real no Bitcoin. Por exemplo, você não tem um fundo de pensão de professores que possui Bitcoin para um hedge de dez anos, ainda não é assim”, acrescentou.

Jordan Belfort
Jordan Belfort, Fonte: BBC

Os perigos da indústria de criptomoedas

Além do Bitcoin, Belfort deu seus dois centavos sobre como as pessoas devem se proteger de golpes de criptomoedas. Comparado às finanças tradicionais, o setor de ativos digitais carece de regras abrangentes, o que explica por que às vezes “as pessoas estão sendo massacradas”.

“Nas criptomoedas, você pode sair e levantar dinheiro, mas não há divulgação, e toda vez que não há divulgação, sempre acaba mal”, afirmou.

Ele aconselhou os investidores a tomar cuidado ao lidar com um determinado projeto de criptomoeda e se familiarizar com sua equipe executiva. Belfort acredita que um protocolo com proprietários desconhecidos deve ser considerado uma grande preocupação.

Por fim, ele alertou as pessoas para verificarem a utilidade dos projetos em que desejam investir. Se a ideia por trás de uma determinada empresa funcionar melhor a partir de um servidor centralizado, “provavelmente não me envolveria”, disse ele.

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.