Sem usuários, Petro passa a ser visto como golpe do governo venezuelano

Criado como uma tentativa de resgatar a economia do país, o Petro divide opiniões

De acordo com o site oficial do Petro, a moeda deverá ser “aceita como forma de pagamento de impostos, taxas, contribuições e serviços públicos nacionais, tomando como referência o preço do barril venezuelano do dia anterior com um desconto”.

As reservas de petróleo correspondentes ao Petro estão situadas em um bloco de 380 km² conhecido como Ayacucho I. De acordo com o governo, o bloco tem aproximadamente 5,3 bilhões de barris de petróleo.

Como toda área onde há exploração de petróleo, o bloco deve receber a infra-estrutura necessária para o desenvolvimento da atividade. Atualmente, há dúvidas de que o governo se encontre em condições de garantir esse investimento.

Após uma visita a Atapire, uma cidade do bloco, repórteres declaram ter encontrado apenas miséria. Aparentemente, a região possui fazendas abandonadas, bombas de petróleo degradadas e uma população faminta.

De acordo com Rafael Ramirez, antigo Ministro do Petróleo, o governo desembolsaria em torno de US$20 bilhões para garantir o acesso ao petróleo.

O petro está sendo definido em um valor arbitrário, que só existe na imaginação do governo“, afirmou

Webitcoin: Sem usuários, Petro passa a ser visto como golpe do governo venezuelano

Leia mais: Presidente colombiano declara isenção de impostos para startups de criptografia

A utilização do Petro

Aparentemente, o governo de @NicolasMaduro  havia se comprometido a promover o uso da criptomoeda na Venezuela, e ainda declarou que exerceria esforços para que fosse aceita em todo o mundo.

Atenta ao assunto, uma agência de notícias britânica chamada Reuters realizou quatro meses de investigação e aparentemente não encontrou usuários.

A informação surpreende, visto que Maduro declarou que o Petro está sendo utilizado ativamente, e que já arrecadou certa de US$3,3 blilhões.

FONTE: BITCOIN.COM