Próxima parada em US$5800? Bitcoin e grandes criptos se recuperam, mas a tendência de baixa ainda é forte

Em 8 de agosto, o mercado das criptomoedas apresentou uma aparente melhora, tendo em vista a recuperação do Bitcoin para US$6600, e a escalada do Bitcoin Cash até US$620.

Contudo, durante as últimas horas, grandes criptomoedas começaram a demonstrar um declínio em seu impulso, uma vez que o Bitcoin escorregou para US$6300, e o Bitcoin Cash ficou abaixo da marca de US$600.

Leia mais: Maersk e IBM lançam plataforma logística baseada em blockchain

Falta de impulso

Desde 29 de julho, o valor do Bitcoin entrou em queda livre, saindo de US$8300 para US$6350 dentro de um período de duas semanas. Outras grandes criptomoedas e tokens experienciaram uma queda muito mais acentuada em seus valores, perdendo de 30% a 40% de valorização em 12 dias.

Com o passar dos últimos 8 meses, desde janeiro, o mercado das criptomoedas e sua cripto mais dominante têm vivenciado tendências semelhantes, com movimentações de valor que exibem ranges idênticas.

No dia 6 de fevereiro, o valor do BTC caiu para US$6000, tendo se recuperado para US$11000 dentro de um mês. Em abril, o valor da referida criptomoeda escorregou novamente para a região dos US$6000, dentro de um período de 30 dias. Em maio, o Bitcoin atingiu seu pico em US$11 mil, apenas para cair costumeiramente para US$6000 no mês seguinte. Como é possível notar, o valor do Bitcoin tem pulado de US$6 mil para US$10 mil desde janeiro, como se investidores de grande escala de um mercado exterior ao das exchanges estivessem manipulando o valor da principal criptomoeda do setor.

Baseando-se na movimentação suspeita do BTC em relação à sua range de valor, e o fato de que o mercado de balcão é duas ou três vezes maior do que o mercado das exchanges, fica difícil ignorar a possibilidade de manipulação.

Ademais, a queda no valor do BTC sempre ocorreu após um grande evento ou notícia, como a rejeição do ETF dos gêmeos Winklevoss, ou o ETF da VanEck, que por conta própria não são suficientes para impactarem no mercado das criptomoedas de forma significativa.

Caso a movimentação de valor do BTC a curto prazo se comporte da mesma forma como fez em fevereiro, abril e maio, é provável que o BTC fique abaixo de US$6 mil durante os próximos dias, possivelmente criando um fundo em US$5700 e US$5800, de acordo com a sugestão de numerosos analistas. Garantir um nível de suporte em US$5800 permitiria ao Bitcoin escalar o nível de resistência localizado nas regiões de US$7000 e US$8000 a médio prazo.

Atualmente, a tendência de baixa do mercado das criptomoedas é forte, sendo baixa a probabilidade de vermos uma correção a curto prazo.

Leia mais: Capacidade da Lightning Network dobrou em um mês, estando em quase 100 Bitcoins

Tendência de curto prazo

Conforme o Bitcoin continua se movendo em uma tendência de baixa, espera-se que outras grandes criptomoedas e tokens demonstrem um declínio maior em seus valores. Alguns analistas sugeriram que a Coinbase integre a Ripple (XRP) em um futuro próximo, contudo, o mercado já testemunhou rumores semelhantes no passado, e eles nunca se concretizaram.

Conforme cresce o hype acerca da Ripple e EOS serem acrescentadas à Coinbase, é provável que os valores destas criptomoedas avancem em um futuro próximo. Entretanto, uma queda será inevitável quando a Coinbase esclarecer sua posição acerca destas duas criptomoedas, de novo.

Leia mais: Caçador de recompensas descobre grave vulnerabilidade dentro do Augur

Fonte: CCN