A mineração legal de bitcoin pode ser retomada a partir do final de setembro no IRÃ

O governo iraniano permitirá que mineradores de criptomoedas autorizados retomassem seus esforços a partir de 22 de setembro.

A mineração legal de bitcoin pode ser retomada a partir do final de setembro no IRÃ, Tavanir – Empresa de Geração, Distribuição e Transmissão de Energia do Irã – revelou que a proibição da mineração de criptomoedas seria suspensa já em 22 de setembro.

A mineração legal de bitcoin pode ser retomada a partir do final de setembro no IRÃ

Citando a Companhia de Geração, Distribuição e Transmissão de Energia do Irã, um relatório recente disse que o país removerá sua proibição temporária de mineração de criptomoedas. O que significa que a partir de 22 de setembro todas as empresas jurídicas da área podem retomar suas atividades.

Em maio, o governo iraniano impôs restrições rígidas. As autoridades alegaram que sua rede elétrica está sob enorme pressão e sua sustentabilidade está em risco. Como tal, eles culparam a mineração de criptomoedas por isso e implementaram uma proibição total em todos os empreendimentos de mineração até 22 de setembro.

O porta-voz da Tavanir – Mostafa Rajabi Mashhadi – informou que os meses com alto consumo de energia estão quase no fim. Com isso dito, as temperaturas mais amenas desde o início do outono tornariam a mineração legal de ativos virtuais novamente possível.

Durante os últimos meses, o governo do Irã tomou medidas severas para caçar mineradores ilegais e confiscar suas operações. Conforme relatado pelo CryptoPotato em junho, a polícia do país confiscou 7.000 máquinas de criptomoeda em Teerã – a maior apreensão desse tipo nas fronteiras do país.

No total, Tavanir afirmou ter confiscado mais de 212.000 unidades de equipamentos de mineração ilegais nos últimos 12 meses. O maquinário causou perdas de cerca de US $ 4 bilhões à rede de energia. É importante notar que mineradores não autorizados usam cerca de 2.000-3.000 MW por dia, ou seja, metade do consumo diário de energia na cidade de Teerã.

Espiões do lado do governo

As autoridades iranianas pareciam determinadas a resolver seus problemas com a mineração ilícita de criptomoedas. Para tanto, o Ministério da Inteligência se apoiou em um movimento sem precedentes até agora – alistar espiões. Sua missão: detectar e apreender “fazendas” de computadores que exploram ativos digitais sem autorização.

O Ministério prometeu um pagamento atraente para quem conseguir expor tais processos. Por sua vez, Tavanir chegou a elevar o prêmio máximo para 200 riais (US $ 873), que é 7,5 vezes o salário mínimo mensal do Irã.

Gholamali Rakhshani-Mehr – o coordenador de distribuição em Tavanir – lembrou na época que o Irã é um local desejável para mineradores de criptomoeda por causa de seus preços de energia subsidiados. Ele deu a entender que isso enfrenta um grande problema, já que o aumento da mineração gerou um grande consumo de eletricidade e, portanto, a deficiência de energia em todo o país.

 

Fonte: CryptoPotato

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8