Circuito Catarinense Mormaii de Jiu-Jitsu inova e pagará premiação em criptomoeda

Segunda etapa acontece nos dias 18 e 19 de setembro em Balneário Camboriú – SC.

Depois da cidade de Blumenau receber em julho a primeira etapa do Circuito Catarinense Mormaii de Jiu-Jitsu, chegou a vez da paradisíaca cidade de Balneário Camboriú receber a maior competição da arte suave do sul do Brasil. O evento acontece nos dias 18 e 19 de setembro e a expectativa da organização, segundo Cristiano Duarte, presidente da Federação de Jiu-Jitsu de Santa Catarina (FJJ-SC), é que cerca de 800 atletas participem desta segunda etapa.

“A expectativa é sempre boa, ainda mais nessa retomada da modalidade em nosso estado. As inscrições ainda estão abertas e esperamos, até a data limite das inscrições, chegar a uns 800 atletas para esses dois dias de competição”.

Disse Cristiano, que ressaltou a importância da parceria com a Mormaii no Circuito.

“Ter a Mormaii junto a Federação é muito importante, pois é um avanço tremendo para o Jiu-Jitsu ter uma marca mundialmente conhecida na nossa comunidade. Com certeza despertou ainda mais o interesse em nossos atletas em competir o Circuito Estadual”.

A segunda etapa do Circuito Catarinense Mormaii de Jiu-Jitsu inova e pagará premiação em criptomoeda. Os campeões receberão suas premiações em criptomoeda. Cristiano Duarte explicou como surgiu a ideia e detalhou como vai funcionar essa carteira de investimentos em criptomoeda.

“É um mundo novo para todos nós. Através de amigos conhecemos os CEO da Educacoin, Rogério e Roger, duas excelentes pessoas e que nos atenderam super bem. Eles falaram sobre essa nova maneira de apoiar o esporte e a educação em nosso país. Eles já apoiam pilotos de Stock Car, times de Vôlei, entre outras modalidades, e agora estão entrando no Jiu-Jitsu, através da carteira de investimento, o que lá na frente vai ajudar e muito na vida dos atletas. Muitos ainda não entendem como funcionam a criptomoeda, como eu mesmo disse, é um mundo novo inclusive para nós organizadores. A Educacoin é a primeira criptomoeda brasileira, e me alegro de estar sendo pioneiro em trazer esse benefício para os atletas em nossas competições”, concluiu.

No primeiro momento essa parceria entre atleta e Educacoin será a longo prazo, pois a Educacoin nesse momento ainda não trabalha com exchange, mas as carteiras de créditos de investimentos ficarão ativas, e como a Educacoin esta sempre em evolução, muitas novidades serão apresentadas por ela em seu site oficial.

Como será essa parceira e em que momento entra os atletas?

Simples, em todas as etapas do Circuito Catarinense Mormaii de Jiu-Jitsu temporada 2021/2022, todos os atletas que subirem no pódio em suas categorias a partir de adulto, receberão suas carteiras de crédito de acordo com a descrição abaixo:

Primeiro lugar ganhará 500 educacoins que na data de hoje seria algo torno de R$ 7.055,00
Segundo lugar ganhará 300 educacoins que na data de hoje seria algo em torno de R$ 4.233,00
Terceiro lugar ganhará 200 educacoins que na data de hoje seria algo em torno de R$ 2.822,00

Vale ressaltar que a Blufight assim como a Federação, não será beneficiada em nada com essa parceria. A Blufight buscou meios de alguma empresa apoiar e valorizar os atletas do circuito. Ou seja, toda e qualquer premiação Educacoin, será voltada apenas para os atletas em sua totalidade.

Como funciona a primeira criptomoeda do Brasil

Segundo o site oficial, o Projeto Educacoin conectará os dois universos, trazendo a educação para o futuro por meio da criptomoeda; acesso e equidade na educação descentralizada para alunos, bem como investidores, e ao mesmo tempo oferecendo uma porta de entrada para um mundo totalmente escolarizado.

O objetivo do Educacoin é incorporar a integridade do desejo de cada aluno de continuar seus estudos em qualquer país do mundo. Os tokens acionados por Blockchain – Educacoin – EDC – oferecem a oportunidade de aumentar substancialmente a motivação e o envolvimento dos alunos na educação formal e informal.

A educacoin usa a tecnologia ERC-20, sendo 20 o número de identificação única da oferta, permitindo que as moedas sejam compatíveis com Ethereum. O projeto foi desenvolvido para que a Blockchain Ethereum processe todas as transações, suportando um grande número de operações simultâneas sem prejudicar os ativos e a experiência dos usuários da EDUCACOIN.

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8