Coinbase planeja implementar Segwit nas próximas semanas

“Estamos na fase final de testes”

A corretora de criptomoedas, Coinbase, anunciou que planeja dar suporte ao SegWit “nas próximas semanas,” o que poderá reduzir as taxas de transações para clientes e agilizar os processos de toda a rede.

A empresa fez o anúncio no Twitter e ressaltou que sua equipe de desenvolvimento “já está na fase final de testes do SegWit para o Bitcoin” e que o “envio e/ou recebimento de Bitcoins compatíveis com o SegWit estarão disponíveis para seus clientes nas próximas semanas.”

O SegWit (ou Segregated Witness) foi ativado na rede de Bitcoins através de um soft fork em agosto do ano passado. Por reduzir o tamanho das transações, o SegWit diminui as taxas e otimiza o espaço limitado em blocos do Bitcoin. No entanto, usuários apenas conseguirão usufruir esta característica se usarem endereços de carteira compatíveis com o SegWit.

De acordo com dados fornecidos pela fabricante de hardware para carteiras virtuais Trezor, cerca de 15 por cento das transações de Bitcoin atualmente usam o SegWit. Em janeiro, aproximadamente 18 por cento usavam o Segwit. Esta recente redução pode estar ligada a usuários que se aproveitam de taxas de transações menores para transferir fundos de endereços legacy para endereços SegWit compatíveis, mas, de qualquer forma, não há dúvidas de que a rede está tendo dificuldades para usufruir de todos os benefícios que a melhora no dimensionamento oferece, em parte, porque a Coinbase e algumas outras grandes empresas demoraram para o implementar.

Porcentagem de Transações / Fonte: Segwit.party

Leia mais: Especialistas preveem alta do Bitcoin para $50000

Demora na implementação do SegWit

Estas empresas – em especial, a Coinbase por causa de sua forte presença que serve como uma porta de entrada para o meio cripto – haviam sido fortemente criticadas por muitos na comunidade porque, apesar de terem apoiado a controversa proposta do SegWit2x e mencionarem as crescentes taxas de transações, elas levaram muito tempo para implementar o SegWit.

Esta falta de urgência irritou muito mais do que apenas os clientes da Coinbase. Sergej Kotliar, diretor executivo da empresa de recargas em bitcoin, Bitrefill, observou que o número de transações em Bitcoins não confirmadas caíram durante o mesmo período em que a Coinbase estava fora do ar, sugerindo que as transações na Coinbase eram, em grande parte, responsáveis pelo congestionamento da rede, o que por sua vez, contribuiu para o aumento das taxas durante o auge da mercado.

Tradução: É isso o que acontece com a rede de Bitcoins quando a Coinbase sai do ar. / Fonte: Twitter

Em um post em sua página em dezembro, a empresa respondeu às críticas por afirmar que a adição de novas características estava em terceiro lugar em sua lista de prioridades, atrás apenas das prioridades de garantir a segurança de fundos de usuários e de manter sua plataforma estável durante períodos de pico – um objetivo que a empresa tem frequentemente fracassado durante períodos de volatilidade do mercado.

“Armazenamos bilhões de dólares em bitcoins em nome de nossos clientes e qualquer mudança em nossa infraestrutura é feita com muito planejamento e consideração para garantir a segurança e a estabilidade de nossa plataforma,” disse a empresa.

Fonte: CCN.com

Foto de Andre Cardoso
Foto de Andre Cardoso O autor:

André , ariano, engenheiro, empreendedor, trader de criptos profissional, palestrante e professor. Adora números, gráficos e aprender coisas novas.

andre.cardoso.btc/